Info

Detidos dois homens no âmbito da investigação à morte da jornalista irlandesa

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Londres, 20 abr 2019 (Lusa) -- A polícia irlandesa anunciou hoje a detenção de dois homens, com 18 e 19 anos, no âmbito da investigação à morte de uma jornalista, baleada na noite de quinta na sequência de confrontos em Londonderry.

Os dois homens foram detidos ao abrigo da legislação antiterrorista e foram conduzidos a um posto de polícia, em Belfast, para serem interrogados, precisou a Polícia da Irlanda do Norte (PSNI, na sigla em inglês).

A jornalista, Lyra Mckee, tinha 29 anos.

Na sexta-feira, o presidente do Parlamento Europeu (PE) e a Federação Europeia de Jornalistas condenaram a morte da jovem repórter de investigação irlandesa baleada enquanto fazia a cobertura de distúrbios num bairro da Irlanda do Norte.

Segundo as autoridades locais, a jornalista Lyra McKee, de 29 anos, morreu pelas 23:00 horas (hora local, a mesma em Lisboa) de quinta-feira em Londonderry, a segunda maior cidade da Irlanda do Norte.

Natural de Belfast, a jovem repórter foi atingida na cabeça por um homem com máscara que disparava contra a polícia no bairro de Creggan, em Londonderry, tendo morrido já no hospital.

A polícia abriu uma investigação à morte.

Numa conferência de imprensa na sexta-feira, o inspetor do Serviço de Polícia da Irlanda do Norte Mark Hamilton afirmou que as autoridades acreditam que este foi "um ato terrorista cometido por violentos dissidentes republicanos".

AH (ANE) // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

China confirma visita de delegação aos EUA para preparar encontro de alto nível

O Governo chinês confirmou esta terça-feira que uma delegação sua vai viajar para os Estados Unidos, visando preparar a reunião de alto nível que tentará, em outubro, concluir um acordo que ponha fim à guerra comercial.

Morreu o cantor Roberto Leal

O cantor Roberto Leal morreu na madrugada deste domingo em São Paulo, no Brasil, disse à agência Lusa o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

Manifestantes junto ao consulado britânico pedem que Reino Unido salve Hong Kong

Centenas de manifestantes estão reunidos no exterior do consulado britânico em Hong Kong, procurando apoio internacional na campanha que dura há mais de três meses por reformas democráticas no território semi-autónomo da China.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.