Info

Cooperativa Carmo'81 organiza edição zero do festival de música 'karma'

| País
Porto Canal com Lusa

Viseu, 15 abr 2019 (Lusa) -- A cooperativa Cultural Acrítica de Viseu, Carmo'81, organiza, a partir de 03 de maio, a edição zero do festival Karma, que se prolonga até junho, divulgou hoje esta associação que apresenta uma exposição fotográfica no final do certame.

"Depois de duas edições do festival 'Cultura Urbana' e uma do festival 'Solos e Solidão', procuramos agora assumir a identidade que confere ao Carmo'81 lugar no roteiro de melhores 'venues' [vindas] do país, para isso sugerimos uma programação eclética e abrangente em termos de público", lê-se no documento de apresentação do programa, que envolve nomes como Pop Dell'Arte, Gala Drop, Jibóia e Sensible Soccers, além de A Voz do Rock.

"A programação foi concebida a pensar nos artistas locais, que terão palco para apresentar os seus trabalhos, bem como na descentralização cultural, ao convidar para Viseu artistas de reconhecido mérito nacional", lê-se na apresentação da iniciativa.

"A estratégia é multidisciplinar, mas focada sobre um tema: a música", de forma a que o Karma "garanta a diversidade de linguagens artísticas" e, assim, a partir de 03 de maio realizam-se 14 concertos, uma oficina, um debate, é editada uma fanzine da exposição de fotografia e realizada uma residência artística.

O cartaz já está fechado e, da lista, fazem parte Pop Dell'Arte, Gala Drop, Jibóia, Dada Garbeck, The Dirty Coal Train, Keep Razors Sharp, Montanhas Azuis, Sensible Soccers, Ohxalá, Dj César Zembla, Dj Set Osmose, José Pedro Pinto, e ainda há oficinas de 'estranhafones' e um documentário da Antena 3, "Uma espécie de punk".

Também o grupo A Voz do Rock, composto na sua maioria por octogenários de Viseu, faz parte do programa. "É uma performance musical que, acima de tudo, celebra o prazer da partilha musical", e apresenta-se em três instituições educativas de Viseu: Escola Secundária Emídio Navarro, Instituto Vítor Fontes e na Escola Básica de Paradinha, do Agrupamento de Escolas Infante D. Henrique.

O Carmo'81 apresenta ainda "um concerto do sr. Jorge", fadista autodidata que será acompanhado por três músicos profissionais, Rui Souza (Dada Garbeck e El Rupe), João Pedro Silva (The Lemon Lovers) e Gonçalo Alegre (Galo Cant'Às Duas), "neste desafio de desconstruir o fado tradicional".

"Pretendemos que este seja o 'ano 0' do Karma. "Ano 0" é a intenção de que em futuras edições o Karma assuma características de festival de médio formato em espaço outdoor, com calendarização mais compacta com afluência de público superior. Os recursos humanos, parcerias estratégicas locais, patrocinadores, a cidade e cooperantes do Carmo'81 alimentam esta intenção, e o 'ano 0' comprovará essa necessidade", assumem.

A organização deixa ainda a promessa de, "após o encerramento do festival, durante o ano de 2019", sair uma "fanzine Karma" e organizar ainda "uma exposição fotográfica coletiva", depois de "os artistas presentes no cartaz do 'Karma - is a fest - 2019' terem sido convidados a fotografar com Polaroid o KARMA que encontram durante a sua presença no Carmo'81 e em Viseu".

IYN // MAG

Lusa/Fim

+ notícias: País

Associação da GNR diz que agressões a militares em serviço estão a aumentar

A Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR) lamentou este sábado que o Governo "ainda não tenha considerado" os polícias como uma profissão de risco, sublinhando que cada vez mais os militares da GNR são agredidos em serviço.

Incêndio em Oiã, Aveiro, provoca quatro feridos

Um incêndio numa fábrica de bicicletas na freguesia de Oiã, Oliveira do Bairro, distrito de Aveiro, causou este sábado quatro feridos, entre eles um bombeiro, disse à agência Lusa fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

Falta de pagamento do Estado aos hospitais privados põe em causa cirurgias

Os hospitais privados ameaçam parar de fazer cirurgias aos doentes enviados pelo Serviço Nacional de Saúde caso o Estado continue a demorar tanto tempo a pagar. Já há médicos a recusar-se a operar uma vez que depois têm de esperar mais de dois anos para receber.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.