Info

Bebé de mãe em morte cerebral "nasceu bem" e é como "qualquer prematuro"

| Norte
Porto Canal com Lusa

O bebé nascido esta quinta-feira com "31 semanas e seis dias e 1,7 quilos", após três meses de morte cerebral da mãe, apresenta a saúde de "qualquer outro prematuro com igual tempo de gestação", informou o hospital de São João em conferência de imprensa.

Em conferência de imprensa, Hercília Guimarães, chefe do serviço de Neonatologia do Centro Hospitalar Universitário São João (CHUSJ), no Porto, explicou que o Salvador foi, naquela unidade, "o primeiro" bebé nascido de uma mãe em morte cerebral, ali mantida durante "56 dias" em suporte orgânico de vida, até que, durante a madrugada de hoje, "deteriorações respiratórias" da mãe levaram a antecipar a cesariana prevista para sexta-feira.

"Nasceu bem, com necessidade de apoio de suporte ventilatório, o que é normal para o tempo de gestação. Neste momento deve estar a ser extubado [retirada de suporte respiratório], porque estava a melhorar da parte ventilatória. Não existem, neste momento, quaisquer indicações de problemas relacionados com o falecimento da mãe", observou a especialista.

Marina Moucho, obstetra, explicou que a cesariana prevista para sexta-feira foi antecipada devido a "deteriorações respiratórias e dificuldade em ventilar a mãe que tiveram como consequência algumas alterações no bebé".

"O bebé não estava em sofrimento, mas havia algumas alterações justificadas pela dificuldade na ventilação materna. Foi decidido terminar a gravidez. Foi considerado que seria o melhor para ele", disse.

+ notícias: Norte

Jovem de 18 anos morre afogada no Gerês

Uma jovem de 18 anos morreu afogada, esta terça-feira, na cascata das Sete Lagoas, em Cabril, no Gerês, apurou o Porto Canal com o comandante dos Bombeiros Voluntários de Salto.

Atualizado 23-07-2019 17:50

Número de moradores do prédio Coutinho desce de nove para sete

A VianaPolis informou esta terça-feira à Lusa ter chegado a acordo com um casal que detinha um apartamento no prédio Coutinho, em Viana do Castelo, onde, segundo aquela sociedade, ainda permanecem sete pessoas em cinco frações.

Limitação de auxílio na aterragem no aeroporto do Porto obriga ao desvio de 10 voos 

10 voos tiveram que ser desviados do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, na passada sexta-feira, tudo porque o aeroporto tem apenas um aparelho de auxílio à aterragem em caso de nevoeiro. Os aeroportos de Lisboa e de Faro têm dois aparelhos, isto apesar de serem cidades com muito menos dias de novoeiro do que a cidade 'invicta'. 

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.