Info

Ponte Vasco da Gama reaberta ao trânsito seis horas depois de incêndio

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 14 mar (Lusa) -- A Ponte Vasco da Gama já foi totalmente reaberta ao trânsito, depois de um acidente entre um pesado e um ligeiro, que originou um incêndio, ter obrigado ao corte do tráfego, informou hoje fonte da Lusoponte.

Em declarações à Agência Lusa, a mesma fonte especificou que os dois sentidos foram reabertos por volta das 18:15.

A Ponte Vasco da Gama esteve condicionada ao trânsito desde as 11:58 de hoje.

Uma colisão entre um pesado de mercadorias e um ligeiro esteve na origem do incêndio no contentor, sem carga, do camião, o que levou ao corte de trânsito nos dois sentidos da Ponte Vasco da Gama ao final da manhã, segundo fonte da GNR.

De acordo com a fonte da GNR, a colisão entre o pesado e o ligeiro levou à queda do contentor na via, que se incendiou posteriormente.

Segundo a mesma fonte, o contentor seguia sem carga e do acidente não resultaram feridos.

Fonte da Lusoponte disse à Lusa, pouco antes das 13:00, que o incêndio se encontrava extinto, e que estavam a ser feitos "os possíveis para a abertura de uma via de circulação em cada sentido".

Inicialmente, a Lusoponte, entidade que gere a Ponte Vasco da Gama, avançou que o trânsito estava cortado devido ao despiste de um camião, seguido de incêndio, junto ao quilómetro 4.

O incêndio, de acordo com a mesma fonte, foi combatido por bombeiros de Sacavém e de Alcochete.

Segundo uma fonte da GNR, o pesado de mercadorias "encontrava-se a arder junto ao separador central" no sentido norte-sul, tendo sido dado o alerta pelas 11:58.

JML (RCP/DD) // MCL

Lusa/Fim

+ notícias: País

Mais de 1.070 médicos foram alvo de processos disciplinares em 2018, 45 foram condenados

Mais de 1.070 processos disciplinares a médicos foram abertos no ano passado pelos conselhos disciplinares da Ordem, tendo sido condenados 45, segundo dados hoje divulgados.

Retirar amianto é 50 vezes mais barato do que tratar doente de cancro

A Quercus alertou hoje que retirar uma cobertura de amianto de uma escola fica 50 vezes mais barato do que tratar um doente com mesotelioma, o cancro da pleura do pulmão provocado pela exposição àquela substância.

Ministra da Cultura defende "revisão crítica" do modelo de apoio às artes

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, defendeu hoje a necessidade de se avançar com uma "revisão crítica" do modelo de apoio às artes, vincando ser uma proposta recolhida nas muitas cartas e intervenções que tem visto.

Atualizado 19-10-2019 11:17

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.