Info

Federação Portuguesa do Caminho de Santiago é formalizada a 17 de maio

| Política
Porto Canal com Lusa

Vila Pouca de Aguiar, Vila Real, 12 mar (Lusa) -- A Federação Portuguesa do Caminho de Santiago vai ser formalizada a 17 de maio, em Vila Pouca de Aguiar, une 60 entidades e visa implementar uma estratégia e sinalética comum nestas vias de peregrinação, anunciou hoje a autarquia local.

A criação desta federação está a ser coordenada pela Câmara de Vila Pouca de Aguiar, que é a representante nacional da Federação Europeia dos Caminhos de Santiago.

"Estamos a tentar criar uma política comum entre municípios, associações de peregrinos, pastoral do turismo e todas as outras entidades que, de alguma forma, estejam ligadas ao Caminho de Santiago", afirmou à agência Lusa Ana Rita Dias, vice-presidente da Câmara de Vila Pouca de Aguiar.

A nova entidade visa, segundo a responsável, delinear e implementar "uma estratégia comum em todo o país", bem como uma sinalética igual e a promoção e divulgação dos caminhos portugueses.

"A intenção também é revitalizar aqueles caminhos que existindo não têm tanta peregrinação ou por falta de informação ou de sinalética ou até pela falta de manutenção desses troços", acrescentou.

Trata-se de uma associação de caráter cultural sem fins lucrativos, que terá sede neste concelho do distrito de Vila Real e vai exercer a sua ação em todo o território nacional. A escritura oficial está marcada para o dia 17 de maio, na vila termal de Pedras Salgadas.

A federação tem como objetivo a promoção, divulgação, organização e gestão dos Caminhos de Santiago em território nacional.

Visa ainda "revitalizar e dinamizar as variantes do Caminho Português de Santiago como importantes vias de peregrinação a Santiago de Compostela, recuperando, preservando e promovendo também o património histórico-cultural e religioso associado ao caminho, a interculturalidade dos povos e impulsionando o desenvolvimento económico, social e ambiental das regiões atravessadas".

Hoje, dezenas de representantes de municípios, entidades religiosas, associações de peregrinos e universidades estiveram reunidos em Vila Pouca de Aguiar, para planear a estreia oficial da federação.

Os Caminhos de Santiago, que atravessam Portugal de sul para norte, são seguidos pelos peregrinos há séculos e têm como destino a Catedral de Santiago de Compostela, em Espanha.

Atualmente podem identificar-se três percursos principais: o Caminho da Costa que parte do Porto, atravessa o Minho até Espanha, o Caminho Interior que liga Viseu a Chaves, com saída para Espanha por Vilarelho da Raia, e o Caminho Central Português que sai da Sé de Lisboa e passa por Tomar, Coimbra até entrar no Porto e seguir depois para Norte.

"Queremos dar a conhecer os outros caminhos para além dos principais", salientou Ana Rita Dias.

A vice-presidente referiu que Portugal é o segundo país, a seguir à França, com maior afluência de peregrinos a Santiago de Compostela.

O concelho de Vila Pouca de Aguiar está incluído no Caminho Interior, o único a nível nacional que tem o selo de itinerário cultural europeu.

PLI // JAP

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Covid-19: Jerónimo de Sousa avisa Governo para não repetir "dose" de gestão privada na TAP

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, insistiu hoje na necessidade de nacionalização da companhia aérea TAP e avisou o Governo para não repetir a "dose" de permitir que a empresa continue a ser gerida por privados.

Inspeção ao aterro de Valongo "levanta algumas preocupações" - ministro

O ministro do Ambiente afirmou que o relatório provisório da inspeção ao aterro de Valongo “levanta algumas preocupações”, mas remeteu novidades para segunda ou terça-feira.

Costa afasta "Bloco Central" e recusa aceitar incapacidade da esquerda para visão comum

O secretário-geral socialista garantiu hoje que vai manter o rumo político e não haverá "Bloco Central" PS/PSD, frisando que recusa aceitar que a esquerda seja incapaz de se entender sobre uma visão comum para o país.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.