Info

Salão do livro de Pontevedra dedicado à lusofonia quer saldar "dívida pendente"

| País
Porto Canal com Lusa

Redação, 11 mar (Lusa) - A vereadora Cultura da Câmara de Pontevedra disse hoje que a Galiza quis pagar uma "dívida pendente" com a lusofonia ao escolher a cultura da "língua irmã" para tema da vigésima edição do Salão do Livro da cidade galega.

"Quisemos unir-nos à cultura lusófona e fazê-la protagonista nos 20 anos do Salão do Livro de Pontevedra", dedicado à literatura infantil e juvenil. "Era uma dívida pendente. Trata-se de falar, ler, contar e ouvir na nossa língua irmã", afirmou hoje à agência Lusa, Carme Fouces.

A vereadora da Cultura da Câmara de Pontevedra adiantou que a "Revolução" é o tema da XX edição do certame, que vai decorrer de 22 março a 12 de abril, no Paço da Cultura daquela cidade da Galiza.

"Todos os países de língua portuguesa têm na sua história alguma revolução a partilhar. É isso que pretendemos, uma cultura partilhada", sustentou.

Carme Fouces referiu que o Salão do Livro de Pontevedra "é um dos eventos literários infantojuvenil mais importante de todo Noroeste Peninsular", por onde passam, anualmente, "entre 17 a 20 mil pessoas".

"É o único salão com estas características no Noroeste Peninsular e na sua vigésima edição fizemos uma seleção do melhor que há da cultura lusófona", disse, adiantando que ao longo de "quase quatro semanas haverá inúmeras atividades para alunos e as famílias, que envolverão escolas, universidades, livrarias e sociedade civil, em sessões de poesia, congressos, teatro, música, entre outros".

A coordenadora do Salão do Livro de Pontevedra, Eva Mejuto, adiantou que o objetivo da vigésima edição é "reforçar a ligação entre a língua galega e a portuguesa".

"Há muitos séculos as nossas línguas foram uma só e achamos que esta é a forma de estabelecer pontes para aumentar a interação entre a literatura infantojuvenil da Galiza e de Portugal e de toda a lusofonia", sustentou.

A responsável admitiu que apesar da proximidade geográfica entre os dois países, a ligação cultural ainda não foi devidamente trabalhada.

"Não existe tanta ligação como gostaríamos de ter e pensamos que com este evento, ao convidarmos autores, ilustradores e editoras, vai ser possível consciencializar os jovens galegos. Há 250 milhões de pessoas no mundo com as quais nos podemos ligar através da nossa língua. A literatura é uma maneira de conhecer o mundo e de viajar até outros países e culturas. A literatura juvenil, a poesia, os contos e a música servem para conhecermos todos os países lusófonos", especificou.

"É necessário estreitar os laços, atravessar oceanos e cruzar as pontes, os rios que nos separam para sermos cada vez mais próximos", frisou.

O salão do livro tem o apoio da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB) e do Instituto Camões-Centro Cultural Português, em Vigo.

Entre as personalidades convidadas para o evento, Eva Mejuto destacou a escritora, jornalista e tradutora brasileira Marina Colasanti, os ilustradores André Neves e Roger Mello, Prémio Hans Christian Andersen de literatura infantil, a ilustradora, editora e mediadora de leitura Mafalda Milhões, promotora do projeto livreiro Bichinho de Conto, Ana Biscaia, Prémio Nacional de Ilustração de Portugal, e o escritor Afonso Cruz, entre outros nomes.

Apontou ainda as ilustradoras Ana Seixas, Eva Vieira, Margarida Botelho e Cátia Vidinhas, assim como o editor, ilustrador Pedro Seromenho, que também integram o painel de convidados, tal como os escritores Pedro Messeder e Ana Pessoa.

A companhia Andante Teatro, irá apresentar um espetáculo para bebés baseada em poemas de Fernando Pessoa e o músico João Afonso será um dos convidados convidado do espetáculo de Maria Fumaça.

"Os livros podem revolucionar e mudar o mundo e, este, é um dos eventos de literatura infantojuvenil mais antigos que há em toda a Espanha. São muitos anos a celebrar a literatura porque queremos que os livros continuem a invadir, ano após ano, as ruas da cidade Pontevedra", disse a coordenadora do salão do livro que "abre dia 22 com uma exposição de 35 ilustradores portugueses".

Destacou que apesar de ser um certame dirigido às crianças e jovens, tem um programa que inclui atividades "que vão para além do Paço da Cultura e se espalham por toda a cidade e para todos os públicos, desde as sessões de cinema lusófono, às sessões nas livrarias, nas escolas, nas praças, e em espaços de diversão noturna".

ABYC // MAG

Lusa/Fim

+ notícias: País

Ministra da Saúde diz que "está feita" recuperação das greves cirúrgicas

A ministra da Saúde, Marta Temido, afirmou esta quarta-feira que "está feita" a recuperação das duas greves cirúrgicas que levou ao cancelamento de milhares de cirurgias.

Jovem de 22 anos encontrado morto numa garagem em Mangualde

Um jovem de 22 anos foi esta quarta-feira de madrugada encontrado morto debaixo de uma viatura, dentro de uma garagem, em Abrunhosa do Mato, no concelho de Mangualde, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro.

FENPROF manifestou-se frente ao Parlamento contra a precariedade no Ensino Superior

O secretário geral da FENPROF considera inadmissível que ainda existam docentes do Ensino Superior sem saber se vão ter progressão nas carreiras. O sindicato manifestou-se em frente ao Parlamento contra a precariedade no Ensino Superior.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.