Info

Licenças para habitações batem em 2018 máximo dos últimos oito anos

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 11 mar (Lusa) - As licenças para construção e reabilitação de habitações aumentaram 40,2% em 2018, face a 2017, atingindo o máximo desde 2010, revelou hoje a Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN).

As câmaras municipais licenciaram 19.800 alojamentos novos em 2018, um aumento de 40,2% face aos 14.100 fogos licenciados em 2017, o que, segundo a associação, "corresponde ao melhor registo deste indicador desde 2010".

A acompanhar este aumento de atividade na construção civil, o consumo de cimento cresceu 4,1% no ano passado, face ao anterior, atingindo os 2,81 milhões de toneladas.

A AICCOPN, em comunicado hoje divulgado, lembra que é preciso recuar a 2012 para obter um consumo de cimento superior ao do final do ano passado.

A associação dá ainda conta de um aumento de 19,1% no crédito concedido em 2018 pelas instituições financeiras para aquisição de habitação, atingindo os 9,84 mil milhões de euros, "o maior desde 2010".

"Apesar deste aumento, o stock de crédito à habitação no final de 2018 foi inferior em 204 milhões de euros ao registado no final de 2017", ressalva.

O ano de 2018 terminou com o valor médio da avaliação bancária na habitação de 1.220 euros por metro quadrado, mais 6,1% do que em 2017, o que a AICCOPN diz corresponder a um novo máximo histórico da série que se iniciou em 2008.

Nos apartamentos o valor fixou-se em 1.284 euros por metro quadrado, traduzindo um aumento de 7%, e nas moradias em 1.119 euros, mais 4,9% do que em 2017.

A destoar dos aumentos registados no ano passado, a Região Autónoma da Madeira registou uma diminuição de 14% no número de fogos licenciados em construções novas em 2018, face a 2017, que totalizaram 278 (323 alojamentos em 2017).

VP // EA

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Greve da Ryanair com pouco impacto no Aeroporto do Porto

Começou esta quarta-feira a greve dos tripulantes da Ryanair. No Aeroporto do Porto, tal como nos restantes do país, nenhum voo foi cancelado. O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil diz que a empresa está a utilizar outras transportadoras do grupo para fazer face à paralisação.

Tripulantes da Ryanair em greve a partir de hoje e até domingo

Os tripulantes da Ryanair começam hoje uma greve de cinco dias, até domingo, convocada pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) e que conta com serviços mínimos decretados pelo Governo.

Crise energética acabou e já é possível abastecer sem limites

Portugal deixou de estar em crise energética, devido à greve de motoristas de pesados, desde as 00h00 desta terça-feira, acabando os limites ao abastecimento de combustível.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.