Info

Seguro de vida do Governo foi a sua base de apoio e o que fez ao serviço do país - Marcelo

| Política
Porto Canal com Lusa

Luanda, 09 mar (Lusa) - O Presidente português, que hoje cumpriu três anos de mandato, defendeu em Luanda que "o seguro de vida do Governo foi a sua base de apoio parlamentar e aquilo que fez ao serviço do país".

Marcelo Rebelo de Sousa falava na conferência de imprensa final da sua visita de Estado a Angola, na Escola Portuguesa de Luanda, após ser questionado se sente que foi um pouco o "seguro de vida" do executivo minoritário do PS chefiado por António Costa, suportado por acordos com PCP, BE e PEV, numa solução inédita.

O chefe de Estado rejeitou essa leitura, contrapondo: "O seguro de vida do Governo foi a sua base de apoio parlamentar e aquilo que fez ao serviço do país. Isso é que foi o seu seguro de vida".

Em seguida, defendeu que, "para o país, a cooperação institucional era e é necessária" e existe um desejo de "normalidade constitucional que permita os objetivos de crescimento económico, criação de emprego, justiça social e estabilidade também social".

"O Presidente da República jamais pensou questionar a estabilidade da legislatura através de crises políticas ou através de incidentes de percurso, num período particularmente sensível para a economia, para as finanças e para o crescimento económico do país", afirmou.

IEL // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Autarca de Barcelos retoma funções e gere município a partir de casa

O presidente da Câmara de Barcelos, Miguel Costa Gomes (PS), vai "de imediato" retomar funções, assegurando a governabilidade do município "a partir de casa", disse esta quarta-feira o advogado do autarca à Lusa.

Que temas e propostas vão apresentar em Bruxelas os eurodeputados eleitos pelo Norte?

Já não falta muito para os novos eurodeputados tomarem posse. O Porto Canal foi perceber junto dos que foram eleitos pelo Norte, quais as ideias sobre a região que vão defender em Bruxelas.

Ministro da Economia não explica a existência de tantas sedes 'fantasmas' a Norte

Continua por esclarecer o porquê da existência de tantas sedes fantasma que estão sediadas a Norte, mas na realidade as administrações e a maioria dos trabalhadores estão na Capital. O Ministro da Economia foi questionado sobre o assunto pelo Porto Canal mas a resposta não foi clara.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.