Info

Europeias: Costa promete oposição total a estratégia de concentração empresarial

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 09 mar (Lusa) - O secretário-geral do PS prometeu hoje oposição a uma estratégia europeia de concentração, visando criar multinacionais "gigantes à escala global" e limitar o mercado interno, e manifestou-se contra o protecionismo face a tecnologias de países terceiros.

Esta linha de orientação foi transmitida por António Costa no discurso de abertura da reunião da Comissão Nacional do PS, que hoje vai discutir e votar o manifesto dos socialistas para as eleições europeias de 26 de maio próximo.

"Não podemos aceitar quando alguns grandes Estados-membros dizem que é essencial criar grandes campeões à escala global, concentrando empresas europeias, sacrificando a concorrência no conjunto do mercado interno e sacrificando o potencial de desenvolvimento das empresas dos países que necessitam de fazer um maior esforço potencial de desenvolvimento", frisou o líder socialista.

Numa intervenção que foi aberta à comunicação social, ao contrário do que é habitual em reuniões da Comissão Nacional do PS, António Costa respondeu também à tese de alguns dos Estados-membros mais ricos da União Europeia, em que se defende que a prioridade passa por criar emprego "nas economias mais dinâmicas, assegurando-se, em compensação, a liberdade de circulação para quem não encontra trabalho nos países menos dinâmicos".

"O que nós dizemos é que deve haver liberdade de circulação, mas também tem de existir oportunidade de emprego em todos os Estados-membros e não apenas nos mais dinâmicos", contrapôs o secretário-geral do PS, num discurso em que também se insurgiu contra a "concorrência desleal" no plano fiscal entre Estados-membros da União Europeia e contra o protecionismo europeu no plano da inovação tecnológica.

Sem se referir diretamente a qualquer caso polémico em concreto no que respeita ao acesso a tecnologias criadas por países externos à União Europeia, como a China, António Costa deixou o seguinte recado: "Não é fechando as nossas fronteiras e fechando-nos no protecionismo, mas, pelo contrário, a solução passa pelo investimento na inovação".

"Nós não temos de nos queixar da inovação que os outros fazem. Nós temos de nos queixar da inovação que a Europa não tem feito e, por isso, tem estado a perder a corrida relativamente a outras áreas económicas. Temos de responder positivamente, investindo na inovação", sustentou.

PMF // JPS

Lusa/fim

+ notícias: Política

Autarca de freguesia de Ponte de Lima demite-se após arranque de central de betuminoso

O presidente da Junta de Arcozelo, Ponte de Lima, disse esta quarta-feira ter apresentado a demissão na sequência do início de produção de uma central de betuminoso, considerando que irá "transformar a freguesia no caixote do lixo industrial do concelho".

Atualizado 21-08-2019 16:14

Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas diz que Antram não quis evitar possível greve "por 50 euros"

O advogado do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), Pedro Pardal Henriques, disse hoje à saída de uma reunião com o Governo que a Antram "não quis evitar uma possível greve por 50 euros".

António Costa percorre 700 quilómetros da EN2 para se inspirar para as Eleições Legislativas

O secretário-geral do PS partiu esta terça-feira do quilómetro zero da Estrada Nacional (EN2) para "ganhar inspiração" para a nova etapa que se segue e redescobrir “um tesouro escondido” para lá das áreas de serviço das autoestradas.

Atualizado 21-08-2019 11:26

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.