Info

Centenas protestam em Macau contra reconhecimento das cartas de condução da China

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Macau, China, 09 mar (Lusa) - A chuva não demoveu centenas de manifestantes de protestarem em Macau contra o reconhecimento das cartas de condução da China no território, por se sentirem inseguros com a "cultura de condução dos chineses do continente".

"Muitos cidadãos locais estão preocupados com a cultura de condução e especialmente com a falta de consistência de segurança dos chineses do continente", disse à Lusa o deputado pró-democracia Sulu Sou, que pertence à associação Novo Macau, organizadora da manifestação.

O deputado pró-democracia de Macau e o único legislador a ser condenado por desobediência qualificada devido a um protesto realizado em 2016 ressalvou, contudo, que "Macau reconhece mais de 100 cartas de condução de outros países", mas que "esta situação afeta toda a sociedade",

Com pouco mais de 30 quilómetros quadrados e uma das maiores densidades populacionais do mundo, Macau tem cerca de 230 mil veículos motorizados e não tem metro.

Dados oficiais apontam que, no terceiro trimestre de 2018, havia 43.928 pessoas com dois ou mais veículos, numa população de cerca de 670 mil pessoas.

"Não acho que todos os condutores da China continental são maus condutores", disse, mas acrescentou que "as pessoas estão preocupadas e zangadas", sublinhou o mais jovem deputado de Macau, no começo do protesto no jardim Vasco da Gama.

No ano passado, o secretário para os Transportes e Obras Públicas, Raimundo do Rosário, assinou uma ordem executiva que permite aos portadores de carta de condução chinesa conduzirem em Macau, uma decisão que gerou a contestação de alguns deputados.

Sulu Sou defendeu, por estas razões, que Governo deve realizar uma consulta pública sobre o reconhecimento mútuo das cartas de condução com a China.

MIM // JPS

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Onze manifestantes detidos e 22 agentes feridos durante protesto em Hong Kong

A polícia de Hong Kong informou esta quinta-feira que 11 manifestantes foram detidos e 22 agentes ficaram feridos no protesto contra emendas à proposta de lei que preveem a extradição de suspeitos de crimes para a China.

Irão está preparado para a guerra

Dubai, 20 jun (Lusa) - O comandante dos Guardas da Revolução do Irão, o general iraniano Qassem Soleimani, disse hoje que o país "não tem qualquer intenção" de entrar em conflito com algum país do mundo mas "está pronto para a guerra".

Egipto qualifica de "irresponsáveis" acusações de Erdogan pela morte de ex-Presidente Morsi

Cairo, 20 jun 2019 (Lusa) -- O ministro dos Negócios Estrangeiros egípcio, Sameh Choukri, qualificou hoje de "irresponsáveis" as acusações do Presidente turco, Recep Erdogan, segundo o qual o ex-chefe de Estado egípcio Mohamed Morsi "terá sido morto".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.