Info

Presidente da República deu posse a três novos ministros e quatro secretários de Estado

Presidente da República deu posse a três novos ministros e quatro secretários de Estado
| Política
Porto Canal com Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, deu hoje posse a três novos ministros, que assumiram as pastas das Infraestruturas e Habitação, da Presidência e do Planeamento, e a quatro secretários de Estado, reconduzindo outros quatro.

Numa curta cerimónia, de cerca de dez minutos, na Sala dos Embaixadores do Palácio de Belém, em Lisboa, Nelson de Souza tomou posse como ministro do Planeamento, Mariana Vieira da Silva como ministra da Presidência e da Modernização Administrativa e Pedro Nuno Santos como ministro das Infraestruturas e da Habitação.

Os três eram secretários de Estado e subiram a ministros nesta remodelação do XXI Governo, a quarta a nível ministerial, que acontece após a escolha de Pedro Marques, até agora ministro do Planeamento e das Infraestruturas, para cabeça de lista do PS às eleições europeias de 26 de maio, formalmente anunciada no sábado.

Ao nível das secretarias de Estado, assumiram hoje funções governativas Duarte Cordeiro, como Adjunto do Primeiro-Ministro e dos Assuntos Parlamentares, Maria do Céu Albuquerque, como secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Jorge Moreno Delgado, Infraestruturas, e a Alberto Souto de Miranda, como Adjunto e das Comunicações.

Outros quatro secretários de Estado foram reconduzidos pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa: Tiago Antunes, secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, Luís Goes Pinheiro, Adjunto e da Modernização Administrativa, Rosa Monteiro, Cidadania e a Igualdade, e Ana Pinho, secretária de Estado da Habitação.

+ notícias: Política

Paulo Rangel diz que Portugal está "francamente mal" preparado para o Brexit

O cabeça de lista do PSD às eleições europeias, Paulo Rangel, acusa o governo de "falhar" na preparação para o 'Brexit' e estar "francamente mal" quanto à proteção de cidadãos e empresas e à salvaguarda dos interesses geopolíticos.

Câmara ameaça retirar 10 camas do Hospital de Espinho se se mantiverem sem uso

A Câmara de Espinho ameaçou hoje retirar do hospital local 10 camas por si instaladas nessa unidade em julho de 2018, mas que a autarquia diz que se mantêm paradas enquanto aguardam aval do Governo para uso pelos utentes.

Grande Porto e Cávado são as regiões com mais recusas no processo de descentralização

Em Portugal até ao momento 106 municípios recusaram o processo de descentralização. A Norte o Cávado e o Grande Porto são das regiões com mais recusas de transferência de competências.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.