Info

RTP esclarece que cessação de contratos se deve à impossibilidade de regularização

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 12 fev (Lusa) - A RTP esclareceu hoje que, dada a impossibilidade de regularizar a contratação de quatro colaboradores dos Açores, tendo em conta que os colaboradores não se candidataram ao PREVPAP, a única alternativa foi terminar os contratos.

O BE defendeu hoje que o Conselho de Administração da RTP deve "demitir-se imediatamente porque repetidamente viola a legislação laboral", acusando-o de "má fé e desprezo pela lei" no processo da regularização dos precários.

Em conferência de imprensa, no parlamento, o deputado do BE José Soeiro denunciou o envio de cartas a vários trabalhadores a recibo verde por parte da administração da RTP comunicando-lhes que "escusavam de se apresentar ao serviço a partir do dia de hoje", declarando assim "nulos os contratos de trabalho que o tribunal reconheceu".

Em causa estão quatro trabalhadores do Centro Regional dos Açores que estavam com contrato de prestação de serviços, cujo tribunal considerou tratar-se um contrato de trabalho. No entanto, a RTP não pode contratar de acordo com a Lei do Orçamento do Estado.

"Dado que estes colaboradores não concorreram ao PREVPAP [Programa de Regularização Extraordinário dos Vínculos Precários na Administração Pública], a RTP não poderia contratá-los para o quadro, mesmo tendo havido uma decisão judicial da ARECT (Ação de Reconhecimento de Existência de Contrato de Trabalho)", esclareceu a administração liderada por Gonçalo Reis quando questionada pela Lusa sobre o assunto.

"Isto porque a Lei do Orçamento do Estado impede as empresas públicas de fazer contratações para os quadros e se o fizessem os contratos seriam nulos", adiantou.

"Logo, do ponto de vista jurídico e de gestão, a RTP não teve alternativa senão terminar estes quatro contratos", prossegue a administração da RTP no esclarecimento, apontando que "outros casos com sentenças de tribunal no sentido de integração e que recorreram ao PREVPAP, com decisão positiva da CAB [Comissão de Avaliação Bipartida], foram desse modo resolvidos e integrados pela RTP".

Até esta data, "a RTP já integrou 130 precários e está a colaborar com a CAB no âmbito do PREVPAP para analisar todas as situações adicionais de eventuais necessidades permanentes", concluiu a administração, no esclarecimento.

ALU/(JF) // CSJ

Lusa/Fim

+ notícias: País

Covid-19: DGS apela às pessoas que venham de áreas afetadas para não irem às urgências

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, apelou hoje às pessoas que regressem de Itália ou de outras áreas afetadas pelo novo coronavírus e que não apresentem sintomas da doença para não se deslocarem aos serviços de urgência.

Covid-19: Primeiro-ministro apela a boas práticas sem "pânicos desnecessários"

O primeiro-ministro afirmou hoje que é preciso agir sem "pânicos desnecessários" na questão do coronavírus, referiu que para já não há necessidade de fechar fronteiras ou escolas, mas desaconselhou as viagens de estudantes na altura da Páscoa.

Ministra da Saúde desvaloriza casos suspeitos de coronavírus nas urgências que foram encaminhados para casa

A ministra da Saúde desvaloriza os casos avançados pelo Porto Canal de pessoas que não foram encaminhados para exames mesmo apresentando sintomas e dizendo que tinham estado em zonas afetadas pelo coronavírus. Marta Temido diz que não são os únicos critérios para serem validados casos suspeitos de coronavírus.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.