Info

Receitas aduaneiras em Angola cresceram 43,8% em 2018

| Economia
Porto Canal com Lusa

Luanda, 12 fev (Lusa) - As receitas aduaneiras em Angola cresceram em 2018 43,8% face a 2017, totalizando 51.703 milhões de kwanzas (145,2 milhões de euros), indicou hoje o administrador da Agência Geral Tributária (AGT) angolana.

José Dinis Dungo, citado pela Angop, falava na abertura de uma reunião tripartida entre as Administrações Aduaneiras de Angola, República Democrática do Congo (RDC) e da Zâmbia, todos membros da Comunidade dos Países da África Austral (SADC).

Segundo o administrador, os números resultam do trabalho desenvolvido nas 79 fronteiras terrestres que a AGT tem sob sua tutela e nas 36 delegações aduaneiras nas 18 províncias do país, supervisionadas por 3.800 trabalhadores.

Tendo em conta o crescente volume de trocas comerciais entre os países africanos, José Dinis Dungo considerou "impérios" partilhar experiências e iniciativas para se reforçar a colaboração nos postos fronteiriços comum e com infraestruturas modernizadas.

"É importante melhorar a conexão de sistemas informáticos e efetuar patrulhamentos para se conseguir uma maior arrecadação de direitos aduaneiros e demais imposições, através da cooperação estreita entre administrações aduaneiras", defendeu.

O primeiro dia do encontro, que decorrerá até sexta-feira, ficou marcado pela ausência de representantes da RDCongo.

JSD // PJA

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Tripulantes da Ryanair em greve a partir de hoje e até domingo

Os tripulantes da Ryanair começam hoje uma greve de cinco dias, até domingo, convocada pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) e que conta com serviços mínimos decretados pelo Governo.

Crise energética acabou e já é possível abastecer sem limites

Portugal deixou de estar em crise energética, devido à greve de motoristas de pesados, desde as 00h00 desta terça-feira, acabando os limites ao abastecimento de combustível.

Governo diz que distribuição de combustível deverá ultrapassar serviços mínimos

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, garantiu hoje que a situação de distribuição de combustível está "na normalidade", devendo os serviços mínimos ser ultrapassados hoje, quarto dia de cumprimento da greve dos motoristas de matérias perigosas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.