Info

Grupo Luz Saúde termina convenções com a ADSE

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 12 fev (Lusa) -- O Grupo Luz Saúde comunicou hoje aos seus colaboradores o fim das convenções com o subsistema de saúde ADSE a partir de 15 de abril.

"Informamos que os hospitais e clínicas da rede Hospital da Luz se veem obrigados, a partir de 15 de abril, a deixar de prestar os serviços ao abrigo das convenções celebradas com a ADSE. Fazemo-lo com a convicção de que tentámos, até ao limite, encontrar um entendimento com a ADSE", lê-se no comunicado interno.

Segundo a carta enviada aos trabalhadores dos hospitais e clínicas da rede Hospital da Luz, a que a agência Lusa teve acesso, a suspensão deve-se à "impossibilidade de se encontrar um acordo equilibrado na negociação de uma tabela que se encontra desatualizada".

A rede hospitalar justifica também com a não aplicação retroativa de regras de regularização de faturação, que considera "manifestamente ilegais".

"Os elevados padrões de qualidade e de segurança de que os hospitais e clínicas da rede Hospital da Luz não prescindem no tratamento dos seus clientes são incompatíveis com os termos em que a ADSE pretende aplicar as convenções", acrescenta a missiva, recordando que esta decisão afetara mais de 250 mil beneficiários deste subsistema de saúde.

No entanto, ressalva o documento, continuarão a ser prestados vários serviços ao abrigo do regime convencionado, desde que iniciados antes do dia 15 de abril, nomeadamente o acompanhamento a grávidas, os tratamentos relacionados com doença oncológica e os cuidados de saúde de internamento.

Mantêm-se também dentro do regime convencionado todas as marcações feitas pelos beneficiários da ADSE até hoje, mesmo que se realizem depois de 15 de abril.

A rede Hospital da Luz integra 14 hospitais, 13 clínicas ambulatórias de proximidade e um centro clínico digital.

CC // JMR

Lusa/Fim

+ notícias: País

Pescadores dizem-se prejudicados por erro nos cálculos da Segurança Social

A Associação de Apoio aos Profissionais de Pesca diz que os pescadores foram prejudicados no cálculo das reformas da Segurança Social. Em causa está a contagem dos dias de trabalho e a não obtenção das reformas que afeta centenas de trabalhadores.

25 de Abril: As mudanças sociais, políticas e económicas em 45 anos de democracia

Em 2019 a Revolução do 25 de Abril faz 45 anos. Antes da revolução, Portugal era um país pobre, sem liberdade, em guerra e com inúmeros défices nas áreas da educação e saúde. Em paralelo com os dias de hoje o que mudou?

Viana do Castelo, Braga, Vila Real, Bragança, Porto, Viseu e Guarda sob aviso amarelo devido ao vento e queda de neve

Sete distritos de Portugal continental estão esta quarta-feira sob aviso amarelo devido à previsão de vento forte e queda de neve, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.