Info

Portugal afasta-se do objetivo nacional de energia de fontes renováveis - Eurostat

| Economia
Porto Canal com Lusa

Bruxelas, 12 fev (Lusa) -- Portugal consumiu 28,1% de energia proveniente de fontes renováveis, em 2017, ligeiramente abaixo do ano anterior (28,4%) e ainda longe da meta nacional (31%), segundo dados hoje divulgados pelo Eurostat.

Na média da União Europeia (UE), 17,5% da energia final consumida proveio, em 2017, de fontes renováveis, aquém do objetivo de 20% fixado.

Portugal ocupa o segundo lugar de um grupo de seis países com proporções de fontes renováveis entre os 20% e os 30%, logo depois da Estónia (29,2%).

De acordo com o gabinete estatístico europeu, Portugal está a 2,9 pontos percentuais de cumprir a meta nacional, tendo a proporção de energias renováveis recuado ligeiramente face a 2016 (28,4%).

A Suécia tinha a maior proporção de energia final bruta proveniente de fontes renováveis (54,5%), seguindo-se a Finlândia (41,0%), a Letónia (39,0%), a Dinamarca (35,8%) e a Áustria (32,6%).

No extremo oposto da tabela estavam o Luxemburgo (6,4%), a Holanda (6,6%) e Malta (7,2%).

Cada Estado-membro traçou o seu objetivo nacional para 2020, tendo em conta os diferentes potenciais de captação de energias renováveis e 11 já os tinham atingido em 2017.

Dos 17 Estados-membros restantes, a Holanda (7,4 pontos percentuais), a França (6,7 pontos), a Irlanda (5,3 pontos), o Reino Unido (4,8 pontos), o Luxemburgo (4,6 pontos), a Polónia (4,1 pontos) e a Bélgica (3,9 pontos) são os que se encontravam em 2017 mais longe dos objetivos que traçaram.

IG // EA

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Douro verifica "invasão positiva" de turistas nesta Páscoa

O Douro verifica uma “invasão positiva” de visitantes nesta época da Páscoa, maioritariamente nacionais, espanhóis ou brasileiros, registando uma taxa de ocupação hoteleira a rondar os 80%, segundo o Turismo do Porto e Norte de Portugal.

Acabou-se a dor de cabeça. Greve dos motoristas de matérias perigosas termina

A greve dos motoristas de matérias perigosas terminou esta quinta-feira de manhã, depois de o sindicato e a Associação Nacional de Transportadores Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) terem chegado a acordo, disse à Lusa fonte do Governo.

Atualizado 19-04-2019 12:15

Banco de Portugal aplica coima de 6,8 ME ao banco e a três ex-administradores do BES

O Banco de Portugal (BdP) condenou o BES e três ex-administradores do banco ao pagamento de 6,8 milhões de euros pela omissão de comunicação obrigatória dos problemas associados às carteiras do BES Angola.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.