Info

Parlamento Europeu aprova plano plurianual para pesca sustentável

| Economia
Porto Canal com Lusa

Estrasburgo, França, 12 fev (Lusa) -- O Parlamento Europeu (PE) aprovou hoje o plano plurianual para a gestão das pescas em águas ocidentais, nomeadamente de Portugal continental, Açores e Madeira, que prevê a sustentabilidade das espécies e do setor.

O regulamento, hoje aprovado por 525 votos a favor, 132 contra e 19 abstenções, abrange frotas de Portugal, Espanha, França, Bélgica, Alemanha, Irlanda e Reino Unido e espécies de grande importância comercial como a pescada, o tamboril e o lagostim em águas ibéricas e bacalhau, entre outras.

O regulamento, que mantém o objetivo de se atingir até 2020 o rendimento máximo sustentável das unidades populacionais ('stocks') demersais (que vivem a maior parte do tempo no fundo do mar).

O peixe-espada preto, em águas da Madeira, e o goraz, nos Açores, são unidades também abrangidas no plano, estabelecendo o texto que deverá ter-se em conta "as limitações relacionadas com a dimensão dos navios de pesca artesanal e costeira utilizados nas regiões ultraperiféricas".

IG // EA

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Afinal o "desperdício" existe. TAP volta com sete voos no Porto e mais de 200 em Lisboa

A TAP publicou esta segunda-feira a listagem das rotas em operação para os próximos dois meses e verifica-se, para o Aeroporto do Porto regressam três rotas, num total de sete voos por semana, e para Lisboa regressam mais de 200 voos.

Atualizado 25-05-2020 21:30

Norte é a região de menor rendimento por habitante do país, mas foi a que mais contribuiu para aumentar produtividade do trabalho. Mais 16,7% que a Área Metropolitana de Lisboa

 

O Norte foi a região que mais contribuiu para aumentar a produtividade laboral entre 2000 e 2017, crescendo 20% quando a Área Metropolitana de Lisboa subiu 3,3%, revelou hoje a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN).

CDS-PP defende reforço das linhas de crédito às empresas e redução de impostos

O CDS-PP defende um reforço das linhas de crédito de apoio às empresas e uma redução dos impostos. Se o Governo aceitar as propostas, Francisco Rodrigues dos Santos admite viabilizar o orçamento suplementar.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.