Info

Maioria dos autarcas favoráveis à regionalização a curto prazo

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 12 fev (Lusa) - Mais de dois terços dos autarcas são favoráveis à regionalização a curto prazo, uma opinião transversal a todos os partidos políticos, segundo um estudo hoje divulgado.

O inquérito sobre a "Organização do Estado e as competências dos municípios" foi realizado pelo ISCTE -- Instituto Universitário de Lisboa e foi apresentado no "Fórum Políticas Públicas 2019 -- Desenvolvimento, Descentralização e Poder Local", que hoje decorre na Assembleia da República.

De acordo com o estudo, 77% dos autarcas quer a criação de regiões administrativas no curto prazo e 84% destes defendem regiões administrativas com órgãos próprios eleitos diretamente.

"Os concelhos de natureza rural refugiam-se na resposta neutra, mas os autarcas metropolitanos convergem na ideia de que as áreas metropolitanas deviam ter um Governo próprio eleito por sufrágio", sublinhou Raul Lopes, do ISCTE, que apresentou os resultados.

Segundo os resultados, 83% dos autarcas das áreas metropolitanas defendem a criação de um governo metropolitano, eleito por sufrágio.

Os resultados do inquérito sublinham que "a regionalização é uma ambição transpartidária", com 100% dos autarcas da CDU a defenderem a criação de regiões administrativas a curto prazo, assim como 85% dos autarcas socialistas, 67% dos autarcas do PSD e 67 dos autarcas centristas.

No que respeita à origem regional dos autarcas, "a regionalização é uma ambição que se sobrepõe aos desequilíbrios regionais de desenvolvimento", com 70% dos autarcas das regiões autónomas a defenderem a criação das regiões administrativas, assim como 80% dos autarcas do interior e 75% dos autarcas do litoral.

O estudo foi realizado junto de autarcas de municípios e de freguesias e teve uma amostra representativa próxima da distribuição real, tendo em conta a representatividade partidária, a dimensão dos concelhos e a distribuição geográfica.

RCS // MLS

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Só 17% dos portugueses diz ser "extremamente provável" ir votar nas eleições Europeias

Apenas 17% dos portugueses considera ser extremamente provável ir às urnas nas próximas eleições europeias, a terceira percentagem mais baixa na União Europeia (UE), revela o Eurobarómetro publicado hoje pelo Parlamento Europeu (PE).

Presidente da Câmara da Maia mostra-se tranquilo e diz que confia na Justiça

O autarca da Câmara Municipal da Maia diz estar tranquilo com a ação interposta pela oposição e que culminou com a perda de mandato. António Silva Tiago mantem-se em funções até que seja decidido o recurso.

Presidente da República considera "irrealista" qualquer reforma do SNS que "feche totalmente" a porta aos privados

O Presidente da República considera que qualquer proposta de reforma da Lei de Bases da Saúde que feche totalmente a hipótese da sua gestão por privados "é uma lei irrealista", mas a proposta do Governo "abre essa hipótese".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.