Info

INE revê em ligeira alta a inflação homóloga de janeiro para 0,5%

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 12 fev (Lusa)- O Índice de Preços no Consumidor (IPC) subiu 0,5% em janeiro, desacelerando 0,2 pontos percentuais face à variação de 0,7% de dezembro, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

No entanto, segundo o INE esta taxa é superior em 0,1 pontos percentuais ao valor da estimativa rápida divulgada em 31 de janeiro.

O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) registou uma variação homóloga de 0,8%, valor superior em 0,2 pontos percentuais ao registado em dezembro de 2018.

A variação mensal do IPC, por sua vez, foi -1,2% (-0,2% no mês precedente e -1,0% em janeiro de 2018).

Já a variação média dos últimos doze meses fixou-se em 0,9%, taxa inferior em 0,1 pontos percentuais à registada no mês anterior.

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de 0,6%, taxa idêntica à do mês anterior e inferior em 0,8 pontos percentuais à estimativa do Eurostat para a área do euro (em dezembro, esta diferença situou-se em 1,0 pontos percentuais).

O IHPC registou uma variação mensal de -1,3% (-0,4% no mês anterior e -1,2% em janeiro de 2018) e uma variação média dos últimos doze meses de 1,1% (valor inferior em 0,1 p.p. ao registado em dezembro), sinaliza o INE.

ICO // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Moody's diz que banca portuguesa deve reduzir rede de agências e tem que melhorar qualidade de ativos

Os bancos portugueses estão no bom caminho, mas devem continuar a melhorar a qualidade dos ativos e reforçar os esforços de reestruturação, nomeadamente em termos da redução da rede de agências, indicaram à Lusa especialistas da Moody's.

Economia cresceu 2,1% em 2018 e ficou abaixo da meta do Governo

O Produto Interno Bruto (PIB) português aumentou 2,1% em 2018, menos 0,7 pontos percentuais do que o observado no ano anterior e abaixo da previsão do Governo de uma expansão de 2,3%, divulgou esta quinta-feira o INE.

Sindicatos dizem que rejeição da abolição de portagens na A23 e A25 demonstra desprezo pelo interior

A União dos Sindicatos de Castelo Branco (USCB) afirmou esta terça-feira que a rejeição das propostas para a abolição das portagens na A23 e na A25 é uma "demonstração do desprezo" pelo interior do país.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.