Info

ICA apoia seis produções de cineastas estrangeiros com 900 mil euros

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 11 fev (Lusa) - Seis produções de realizadores estrangeiros, entre os quais do norte-americano Ira Sachs e do brasileiro Marcelo Gomes, vão receber 900 mil euros do Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA), por terem coprodução portuguesa.

De acordo com o ICA, esses 900 mil euros dizem respeito ao concurso de 2018 de apoio à coprodução internacional de longas e curtas-metragens, de ficção e documentário, com participação minoritária portuguesa.

Apresentaram-se a concurso 27 projetos cinematográficos, tendo o júri decidido apoiar seis produções. A que leva a maior fatia financeira, de 300 mil euros, é a produção luso-francesa "Frankie", do realizador norte-americano Ira Sachs.

O filme, que chegou a ter o título de produção "A family vacation", e que deverá ter estreia comercial em setembro, foi rodado em Portugal com produção minoritária da O Som e a Fúria, de Luís Urbano, com direção de fotografia de Rui Poças e a participação de Carloto Cotta e Márcia Breia, num elenco encabeçado por Brendan Gleeson, Marisa Tomei e Isabelle Huppert.

O projeto também contou com outros 80 mil euros de apoio do ICA, no concurso de apoio luso-francês, e é apresentado como um dos filmes beneficiários do sistema 'cash rebate' do Ministério da Cultura, de incentivo para a captação de mais produções estrangeiras para o território português.

Naquele concurso do ICA para coproduções portuguesas minoritárias, além da produção de Ira Sachs, foram contemplados, por exemplo, "La práctica", do realizador argentino Martín Rejtman, pela Rosa Filmes, com 180 mil euros, e "El santa Isabel", da espanhola Paula Cons, pela Take 2000, com 171 mil euros.

"Vestido branco, véu e grinalda", longa-metragem de ficção do realizador brasileiro Marcelo Gomes, coproduzido pela Ukbar Filmes e que já tinha sido contemplado também com o apoio do protocolo luso-brasileiro, receberá agora 128 mil euros.

"Blue Valentine", curta-metragem de animação da realizadora russa Svetlana Filippova (65 mil euros), e o documentário "África vermelha", do realizador russo Alexander Markov (50 mil euros) completam a lista de produções apoiadas neste concurso.

SS // MAG

Lusa/fim

+ notícias: País

Morreram 129 pessoas em 2019 nas estradas, autoridades responsabilizam uso de telemóvel

A Secretaria de Estado da Proteção Civil informou hoje que morreram 129 pessoas nas estradas portuguesas, menos uma morte do que em período homólogo de 2018 e o telemóvel ao volante tem contribuído para aumento de vítimas.

Sindicato estima que o abastecimento fique normalizado em 48 horas

O Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas estima que o abastecimento de combustível a nível nacional fique normalizado dentro de dois dias, depois de desconvocada a greve que durava desde segunda-feira.

Atualizado 19-04-2019 12:17

Grande reportagem: Aptos a trabalhar, mas só no papel

Mais de metade das juntas médicas para pedir a reforma antecipada por invalidez não foram aceites pela Segurança Social, em 2018. No regime para os funcionários públicos, apenas 30% dos pedidos foram aprovados. Contamos-lhe três histórias de pessoas que não conseguem trabalhar, devido a problemas graves de saúde, mas os médicos consideram-nos aptos a exercer as profissões, mesmo contrariando os pareceres de outros clínicos. São decisões polémicas que tornam estes trabalhadores 'aptos a trabalhar, mas só no papel'.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.