Info

Homem que apontou arma a militares da GNR baleado num braço em Palmela

| País
Porto Canal com Lusa

Palmela, Setúbal, 11 fev (Lusa) - Um homem que apontou uma caçadeira a militares da GNR durante uma operação de busca domiciliária efetuada hoje de manhã em Vila Amélia, concelho de Palmela, foi baleado num braço por elementos da corporação, revelou a GNR em comunicado.

De acordo com a GNR, o incidente ocorreu cerca das 7:00 quando os militares se preparavam para efetuar uma busca domiciliária numa das residências para as quais estavam munidos do respetivo mandado de busca, naquele concelho do distrito de Setúbal, no âmbito de uma investigação pela prática de crimes de roubo com violência.

"No momento em que a Força do Grupo de Intervenção de Operações Especiais (GIOE) se preparava para entrar numa das residências, dando cumprimento a um mandado de busca, um homem de 43 anos, que estava no seu interior empunhando uma caçadeira de canos serrados, apontou-a, a partir da janela, na direção da equipa de intervenção tática do GIOE", refere o comunicado.

A GNR acrescenta que os militares foram obrigados a efetuar um disparo "por haver perigo iminente de morte ou ofensa grave à integridade física" dos elementos da corporação, adiantando ainda que o disparo atingiu o suspeito num braço.

Segundo o tenente-coronel Hélder Barros, porta-voz da GNR, "depois de ter sido atingido num braço, o suspeito foi imediatamente assistido e acompanhado por um militar do GNR até à chegada de uma equipa do INEM, Instituto Nacional de Emergência Médica".

"Todas as equipas do GIOE têm um elemento especializado em cuidados de emergência médica em ambiente tático", acrescentou.

O porta-voz da GNR escusou-se a adiantar mais pormenores sobre o caso, alegando que ainda há diligências em curso no âmbito da mesma operação policial.

GR // MLS

Lusa/Fim

+ notícias: País

Morreram 129 pessoas em 2019 nas estradas, autoridades responsabilizam uso de telemóvel

A Secretaria de Estado da Proteção Civil informou hoje que morreram 129 pessoas nas estradas portuguesas, menos uma morte do que em período homólogo de 2018 e o telemóvel ao volante tem contribuído para aumento de vítimas.

Sindicato estima que o abastecimento fique normalizado em 48 horas

O Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas estima que o abastecimento de combustível a nível nacional fique normalizado dentro de dois dias, depois de desconvocada a greve que durava desde segunda-feira.

Atualizado 19-04-2019 12:17

Grande reportagem: Aptos a trabalhar, mas só no papel

Mais de metade das juntas médicas para pedir a reforma antecipada por invalidez não foram aceites pela Segurança Social, em 2018. No regime para os funcionários públicos, apenas 30% dos pedidos foram aprovados. Contamos-lhe três histórias de pessoas que não conseguem trabalhar, devido a problemas graves de saúde, mas os médicos consideram-nos aptos a exercer as profissões, mesmo contrariando os pareceres de outros clínicos. São decisões polémicas que tornam estes trabalhadores 'aptos a trabalhar, mas só no papel'.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.