Info

9º Amadora Jazz abre com "figuras cimeiras do jazz" português e fecha com Marc Copland

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 11 fev (Lusa) -- O próximo Amadora Jazz vai decorrer de 07 a 09 de março, com o habitual destaque de "figuras cimeiras do jazz nacional", que este ano combina com músicos estrangeiros, como "o poeta do piano" Marc Copland, anunciou hoje a organização.

"Até hoje, o Amadora Jazz contou sempre com figuras cimeiras do jazz nacional", escreve o Jazz ao Centro Clube, que organiza o festival, acrescentando que este ano a 9.ª edição tem "como principal novidade a inclusão de artistas internacionais no seu cartaz".

Os convidados são o pianista Marc Copland, o contrabaixista Drew Gress e o baterista Joey Baron, o trio do "mestre de inovações harmónicas e da polifonia rítmica", com mais de 50 anos de carreira, que também tocou com o guitarrista John Abercrombie e contrabaixista Gary Peacock.

O trio de Marc Copland atuará no fecho do festival, a 09 de março, nos Recreios da Amadora.

Dois dias antes, quinta-feira, 07 de março, a abertura é feita no mesmo palco, pelo trio TGB, formado pelo tubista Sérgio Carolino, o guitarrista Mário Delgado e o baterista Alexandre Frazão.

O trio TGB (tuba, guitarra, bateria) faz uma das "primeiras apresentações públicas do novíssimo trabalho discográfico, lançado em janeiro", o álbum "III".

O Jazz ao Centro escreve que este álbum "revela três músicos em topo de forma e uma sonoridade de grupo que os próprios dizem ser 'sem fronteiras' estilísticas, recolhendo influências em muitos universos musicais, com especial ênfase para o rock".

No dia 08, o palco dos Recreios da Amadora acolhe o L.U.M.E. (Lisbon Underground Music Ensemble), liderado pelo compositor e pianista Marco Barroso, que reúne veteranos como José Menezes e jovens valores como Ricardo Toscano, segundo a organização.

"O ensemble de 15 instrumentistas é composto por alguns dos mais experientes músicos de jazz e de música erudita em Portugal, e inspira-se na tradição da big band, mas atualiza esse discurso de forma inteligente e irónica. A música de L.U.M.E. combina a composição escrita com improvisação e viaja entre universos aparentemente tão distintos como o funk e a música textural, o boogie woogie e ambientes impressionistas... com requintes zappianos", lê-se no comunicado do Jazz ao Centro.

O derradeiro dia do festival, sábado, 09 de março, comporta dois concertos.

O primeiro, à tarde, no Cineteatro D. João V, conta com o GeraJazz, nascido de uma parceria entre a Orquestra Geração e a Escola de Jazz do Hot Clube. O agrupamento começou a atividade em 2010 e é dirigido pelo maestro Eduardo Lala.

O 9.º Amadora Jazz encerra nos Recreios da Amadora, com "três três figuras fundamentais do jazz contemporâneo" - Marc Copland, Drew Gress e Joey Baron - "naquela que será uma data única em Portugal", garante a organização.

CP // MAG

Lusa/Fim

+ notícias: País

Morreram 129 pessoas em 2019 nas estradas, autoridades responsabilizam uso de telemóvel

A Secretaria de Estado da Proteção Civil informou hoje que morreram 129 pessoas nas estradas portuguesas, menos uma morte do que em período homólogo de 2018 e o telemóvel ao volante tem contribuído para aumento de vítimas.

Sindicato estima que o abastecimento fique normalizado em 48 horas

O Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas estima que o abastecimento de combustível a nível nacional fique normalizado dentro de dois dias, depois de desconvocada a greve que durava desde segunda-feira.

Atualizado 19-04-2019 12:17

Grande reportagem: Aptos a trabalhar, mas só no papel

Mais de metade das juntas médicas para pedir a reforma antecipada por invalidez não foram aceites pela Segurança Social, em 2018. No regime para os funcionários públicos, apenas 30% dos pedidos foram aprovados. Contamos-lhe três histórias de pessoas que não conseguem trabalhar, devido a problemas graves de saúde, mas os médicos consideram-nos aptos a exercer as profissões, mesmo contrariando os pareceres de outros clínicos. São decisões polémicas que tornam estes trabalhadores 'aptos a trabalhar, mas só no papel'.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.