Info

PM não quer Alentejo a "ver os comboios passar" com nova linha Sines-Caia

| Política
Porto Canal com Lusa

Redondo, Évora, 11 fev (Lusa) -- O primeiro-ministro, António Costa, considerou hoje "fundamental" que o Alentejo não fique a "ver os comboios passar" com a linha ferroviária do Corredor Internacional Sul Sines-Elvas (Caia) e defendeu a fixação de empresas na região.

Trata-se de uma obra "absolutamente essencial" para "melhorar a competitividade externa" e a "coesão interna" do país, realçou o chefe do Governo, em Redondo, no distrito de Évora, na cerimónia de adjudicação da empreitada de construção de um dos troços desta linha ferroviária de mercadorias.

Segundo António Costa, que já antes tinha ouvido o presidente da Câmara de Redondo, António Recto, a alertar para a importância de o projeto contribuir para o desenvolvimento da região e de os alentejanos não ficarem a "ver passar os comboios", esta linha ferroviária "é uma oportunidade" para "criar uma maior coesão interna".

"E é por isso que é fundamental que esta linha que atravessa toda esta grande planície alentejana não seja uma obra para que quem cá vive fique, como disse o senhor presidente, a ver os comboios passar", assinalou o primeiro-ministro.

Pelo contrário, defendeu, "tem que ser mais uma oportunidade para que as empresas aqui se fixem e possam ver nesta infraestrutura uma melhor oportunidade de, instalados no Alentejo, terem melhores condições de exportar para a Europa ou exportar para todo o mundo a partir do Porto de Sines".

A cerimónia realizada hoje em Redondo assinalou a adjudicação pela Infraestruturas de Portugal (IP) da empreitada para a construção do novo troço Évora Norte/Freixo, o primeiro de três da ligação Évora Norte/Elvas, no Corredor Internacional Sul que vai ligar o Porto de Sines à fronteira do Caia, no concelho de Elvas.

A obra, num valor de 46,6 milhões de euros, tem um prazo de execução de 540 dias e está inscrita no Programa Ferrovia 2020.

RRL/HYT // CSJ

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Só 17% dos portugueses diz ser "extremamente provável" ir votar nas eleições Europeias

Apenas 17% dos portugueses considera ser extremamente provável ir às urnas nas próximas eleições europeias, a terceira percentagem mais baixa na União Europeia (UE), revela o Eurobarómetro publicado hoje pelo Parlamento Europeu (PE).

Presidente da Câmara da Maia mostra-se tranquilo e diz que confia na Justiça

O autarca da Câmara Municipal da Maia diz estar tranquilo com a ação interposta pela oposição e que culminou com a perda de mandato. António Silva Tiago mantem-se em funções até que seja decidido o recurso.

Presidente da República considera "irrealista" qualquer reforma do SNS que "feche totalmente" a porta aos privados

O Presidente da República considera que qualquer proposta de reforma da Lei de Bases da Saúde que feche totalmente a hipótese da sua gestão por privados "é uma lei irrealista", mas a proposta do Governo "abre essa hipótese".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.