Info

Standard & Poor's piora Previsão de Evolução de Angola para Negativa

| Economia
Porto Canal com Lusa

Londres, 11 fev (Lusa) - A agência de notação financeira Standard & Poor's (S&P) reviu em baixa a Perspetiva de Evolução da economia de Angola, de Estável para Negativa, devido ao "significativo aumento" da dívida pública, e manteve o 'rating' em 'lixo'.

"A dívida pública de Angola em percentagem do PIB aumentou significativamente em 2018, em parte devido ao impacto da forte depreciação do kwanza no volume de dívida pública em moeda estrangeira", lê-se na nota que acompanha a divulgação da decisão.

"Estamos a rever a Previsão de Evolução da economia de Estável para Negativa e mantemos o 'rating' da dívida soberana de longo e curto prazo em B- e B; a Previsão de Evolução negativa reflete a possibilidade de uma descida [do 'rating'] se o alto peso da dívida pública tornar as necessidades de financiamento insustentáveis, ou se as pressões orçamentais ou externas levarem a défices gémeos mais prolongados que o previsto", dizem os analistas da S&P.

No texto, a S&P diz que entre 2015 e 2018 "a dívida pública em proporção do PIB aumentou cerca de 40 pontos percentuais, de 45% para 87%" e acrescenta que Angola deve ter sofrido uma recessão de 1% em 2018, que deverá ser ultrapassada este ano, com um crescimento de 2%.

MBA // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Douro verifica "invasão positiva" de turistas nesta Páscoa

O Douro verifica uma “invasão positiva” de visitantes nesta época da Páscoa, maioritariamente nacionais, espanhóis ou brasileiros, registando uma taxa de ocupação hoteleira a rondar os 80%, segundo o Turismo do Porto e Norte de Portugal.

Acabou-se a dor de cabeça. Greve dos motoristas de matérias perigosas termina

A greve dos motoristas de matérias perigosas terminou esta quinta-feira de manhã, depois de o sindicato e a Associação Nacional de Transportadores Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) terem chegado a acordo, disse à Lusa fonte do Governo.

Atualizado 19-04-2019 12:15

Banco de Portugal aplica coima de 6,8 ME ao banco e a três ex-administradores do BES

O Banco de Portugal (BdP) condenou o BES e três ex-administradores do banco ao pagamento de 6,8 milhões de euros pela omissão de comunicação obrigatória dos problemas associados às carteiras do BES Angola.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.