Info

Ruas da Torrinha e da Boa Hora, no Porto, encerradas para remoção da grua que caiu

Ruas da Torrinha e da Boa Hora, no Porto, encerradas para remoção da grua que caiu
| Norte
Porto Canal com Lusa

As ruas da Torrinha e da Boa Hora, no centro do Porto, estão fechadas ao trânsito devido aos trabalhos de remoção da grua que este domingo de manhã caiu, provocando prejuízos e danos materiais em edifícios.

A grua tombou sobre armazéns devolutos e logradouros, atingindo ainda o telhado de um edifício habitado, mas sem provocar vítimas.

De acordo com informação disponibilizada na página na Internet da Câmara do Porto, as operações de remoção da grua tombada estão em curso e obrigam a manter o corte de trânsito nas duas ruas.

Em declarações aos jornalistas, o comandante do Bombeiros Sapadores do Porto, Carlos Marques, disse que na habitação danificada residiam duas estudantes universitárias, que foram retiradas de casa por precaução.

Segundo o mesmo responsável, há ainda quatro pessoas que foram assistidas no local pelo INEM, mas sem necessidade de serem transportadas ao hospital.

Um dos feridos é um bombeiro que “sofreu um pequeno corte numa mão”, e as outras três pessoas sofreram crises de ansiedade, devido ao “susto” que apanharam.

Segundo Carlos Marques, a infraestrutura caiu sobre uns armazéns desativados, mas “a ponta da lança” da grua atingiu o telhado do prédio de habitação, onde residiam as duas jovens universitárias.

O responsável disse ainda que os trabalhos de remoção deverão prolongar-se por todo o dia.

A grua caiu cerca das 08:30, mas as circunstâncias em que o incidente ocorreu ainda estão a ser apuradas.

+ notícias: Norte

Homem agredido e sequestrado durante assalto à sua residência em Famalicão

Um homem de 27 anos foi agredido e sequestrado na última noite durante um assalto à mão armada à casa onde reside em Oliveira S. Mateus, em Famalicão, disse hoje fonte da GNR.

Estudo de investigadores do Porto conclui que cães podem ajudar a detetar doneças oncológicas

Um grupo de investigadores do Porto realizaram um estudo e concluíram que os cães ao partilharem com um humano a mesma "exposição ambiental" podem alertar para o surgimento de doenças oncológicas.

Ana Pires: a primeira cientista-astronauta portuguesa da NASA

É natural de Espinho, tem 38 anos e tornou-se na primeira cientista-astronauta portuguesa da NASA. Ana Pires quer agora prosseguir os estudos na agência espacial americana e colocar Portugal no mapa espacial.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.