Info

Jornalista assassinado no México, o segundo do ano

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Um jornalista de rádio foi assassinado no México no sábado, informaram as autoridades locais, tornando-se o segundo jornalista morto este ano no país.

Este jornalista morreu "por causa de várias feridas causadas por uma arma de fogo", anunciou em comunicado, a procuradoria do Estado de Tabasco, no sudeste do México.

As autoridades informaram a abertura de uma investigação sobre o assassinato de Jesus Ramos Rodriguez, num restaurante na cidade de Emiliano Zapata.

De acordo com as testemunhas no local, Jesus Ramos Rodriguez "foi baleado mais de oito vezes a uma curta distância".

O estado de Tabasco, que faz fronteira com a Guatemala, é uma das principais regiões onde os cartéis operam.

O número de jornalistas e outros trabalhadores dos media mortos em 2018 subiu para 94, mais 12 do que em 2017, segundo dados reunidos pela Federação Internacional de Jornalistas.

O país onde a mortalidade foi mais elevada para os jornalistas este ano foi o Afeganistão, com 16 pessoas, o México a seguir, com 11.

O número de assassinatos no México chegou às 33.341 vítimas em 2018, 15,5% mais face a 2017, um recorde desde que se tem registo, segundo dados do Ministério da Segurança e Proteção ao Cidadão apresentados na segunda-feira.

Em dezembro, no primeiro mês de López Obrador como Presidente, 2.916 pessoas foram mortas, um número que segue o rasto de violência do Governo anterior.

+ notícias: Mundo

Estado Islâmico reivindica autoria dos atentados no Sri Lanka

O grupo 'jihadista' Estado Islâmico reivindicou hoje a autoria dos atentados suicidas no Sri Lanka contra igrejas e hotéis de luxo, que causaram no domingo a morte de mais de 300 pessoas.

Dados oficiais elevam para 207 número de mortos nas explosões no Sri Lanka

O balanço do número de mortos da série de explosões esta manhã em quatro hotéis, três igrejas e um complexo residencial no Sri Lanka é agora de 207 vítimas e 450 feridos, segundo dados oficiais.

Um português entre os mortos nas explosões no Sri Lanka

A cônsul de Portugal em Colombo, Preenie Pine, disse hoje à Lusa que existe um português entre as vítimas mortais das explosões que ocorreram em três igrejas e três hotéis no Sri Lanka.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.