Info

Portugal continental registou aumento da área em seca meteorológica em janeiro

Portugal continental registou aumento da área em seca meteorológica em janeiro
| País
Porto Canal com Lusa

Portugal continental registou em janeiro um aumento da área em seca meteorológica devido aos baixos valores de precipitação naquele mês, classificado como muito seco, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com índice meteorológico de seca (PDSI) disponível no 'site' do IPMA, a 31 de janeiro verificou-se um aumento da área em seca meteorológica em relação ao final do mês de dezembro.

A 31 de janeiro, 34,5% de Portugal continental estava em classe de seca moderada, 59,5% na classe de seca fraca e 6% na classe normal.

Segundo o IPMA, a 31 de dezembro, 53,3% do território estava na classe de seca fraca, 13,7% na classe normal e 33% na classe de chuva fraca.

O IPMA classifica em nove classes o índice meteorológico de seca, que varia entre "chuva extrema" e "seca extrema".

De acordo com o IPMA, existem quatro tipos de seca: meteorológica, agrícola, hidrológica e socioeconómica.

A seca meteorológica está diretamente ligada ao défice de precipitação, quando ocorre precipitação abaixo do que é normal.

Depois, à medida que o défice vai aumentando ao longo de dois, três meses, passa para uma seca agrícola, porque começa a haver deficiências ao nível da água no solo.

Se a situação se mantiver, evolui para seca hidrológica, quando começa a haver falta de água nas barragens. Existe também a seca socioeconómica, que é considerada quando já tem impacto na população.

Além do índice de seca, o Boletim Climatológico do IPMA, disponibilizado pelo do instituto, indica que o mês de janeiro classificou-se como normal em relação à temperatura do ar e muito seco em relação à precipitação.

O IPMA destaca que durante nos períodos de 04 a 09 e de 23 a 26 de janeiro foram registados valores diários de temperatura máxima acima do normal.

De 01 a 18 de janeiro foram registados valores diários de temperatura mínima muito inferiores ao normal, destacando no dia 06 um valor médio diário no continente de 0,12 graus (-4,42 graus inferior ao normal).

Foram também, segundo IPMA, registadas grandes amplitudes térmicas entre os dias 04 e 09 de janeiro superiores a 20.°C, em vários locais, em especial no Minho e nas regiões do Centro e Sul do território.

O menor valor da temperatura mínima em janeiro foi registado nos dias 05 e 06 em Miranda do Douro (distrito de Bragança) e Chaves (Vila Real) com -7,0 graus Celsius, e o maior valor da máxima no dia 25 em Coruche (Santarém) com 21,8 graus.

Quanto à chuva, o IPMA adianta que o valor médio da quantidade de precipitação (57,3 milímetros), corresponde a cerca de 50% do valor normal, sendo o 6.º janeiro mais seco desde 2000.

+ notícias: País

Sindicato estima que o abastecimento fique normalizado em 48 horas

O Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas estima que o abastecimento de combustível a nível nacional fique normalizado dentro de dois dias, depois de desconvocada a greve que durava desde segunda-feira.

Grande reportagem: Aptos a trabalhar, mas só no papel

Mais de metade das juntas médicas para pedir a reforma antecipada por invalidez não foram aceites pela Segurança Social, em 2018. No regime para os funcionários públicos, apenas 30% dos pedidos foram aprovados. Contamos-lhe três histórias de pessoas que não conseguem trabalhar, devido a problemas graves de saúde, mas os médicos consideram-nos aptos a exercer as profissões, mesmo contrariando os pareceres de outros clínicos. São decisões polémicas que tornam estes trabalhadores 'aptos a trabalhar, mas só no papel'.

Jovem morre afogado em Ílhavo na sequência de "aposta" com amigos

Um rapaz de 18 anos morreu esta quinta-feira afogado na ria de Aveiro, no concelho de Ílhavo, na sequência de uma "aposta" entre amigos, disse à Lusa o comandante da Capitania do Porto de Aveiro, Carlos Isabel.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.