Info

Greve/Enfermeiros: Ordem dos Médicos preocupada por hospitais do Norte não cumprirem serviços mínimos

| Norte
Porto Canal com Lusa

Porto, 05 fev (Lusa) -- O presidente da secção regional Norte da Ordem dos Médicos disse hoje à Lusa estar "muito preocupado" pelo facto de vários hospitais do Norte não estarem a cumprir os serviços mínimos decretados para a greve dos enfermeiros.

"Isso, como é evidente, prejudica seriamente os doentes", afirmou António Araújo.

O representante dos médicos revelou que os centros universitários do Porto e do São João e o Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho não cumpriram hoje os "serviços mínimos", tendo doentes com doença oncológica não sido operados.

Além disso, o responsável pela Ordem dos Médicos na região Norte assumiu ver ainda com "muita apreensão" a situação atual por entender que se estão a "extremar demasiado as posições".

"A Ordem dos Médicos está preocupada com o aumento do discurso de alguns dirigentes associativos de uma classe profissional de saúde que, como já foi afirmado, coloca em causa o relacionamento entre os vários profissionais de saúde", considerou.

António Araújo ressalvou que não se tem constatado o estabelecimento de "diálogo e de pontes de consenso" que possam satisfazer quer as aspirações dos enfermeiros, quer as possibilidades que o Governo tem em as satisfazer

"Pelo contrário, tem-se fechado as portas ao diálogo, tem-se extremado cada vez mais as posições, por um lado do enfermeiro, por outro da tutela, e acaba-se por não se conseguir resolver a situação e lesar a saúde dos doentes", vincou.

Por esse motivo, a Ordem dos Médicos exorta o Governo e as estruturas associativas dos enfermeiros a dialogarem.

O diretor clínico do Centro Hospitalar Universitário do Porto avançou hoje à Lusa que os enfermeiros não cumpriram os serviços mínimos decretados para a greve, tendo sido operados apenas cinco dos 26 doentes considerados como "prioritários".

Em declarações à Lusa, José Barros adiantou que para hoje estavam agendados 30 doentes em 12 salas operatórias para cirurgia convencional e, desses, o hospital considerou que 26 cumpriam os atuais critérios de "serviços mínimos" (muito prioritários, prioritários, oncológicos ou TMRG [tempos máximos de resposta garantidos] expirados ou a expirar durante a greve).

A greve dos enfermeiros decorre desde quinta-feira e estende-se até fim de fevereiro em blocos operatórios de sete hospitais públicos, sendo que a partir de sexta-feira passa a abranger mais três hospitais num total de dez.

O secretário de Estado Adjunto da Saúde suspendeu relações institucionais com a Ordem dos Enfermeiros na sequência de posições e declarações da bastonária sobre a greve em blocos operatórios, segundo uma nota enviada à agência Lusa pelo gabinete de Francisco Ramos.

SYF // MSP

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Falta de funcionários leva alunos de escola de Canelas a fazer limpezas e vigilância

A falta de funcionários na Escola Básica e Secundária de Canelas levou os alunos a ajudar a fazer limpezas e vigilância do espaço. As queixas arrastam-se há várias semanas e são comuns a muitas escolas do país, o que levou o Governo a anunciar um reforço.

Enfermeiro do Hospital de São João faz greve de fome como forma de protesto

Depois do presidente do Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal, há outro enfermeiro que esta sexta-feira vai começar uma greve de fome para exigir uma mudança de atitude do Governo. O enfermeiro do Hospital de São João, no Porto, vai ainda participar no protesto em frente à Assembleia da República, em Lisboa.

Homem agredido e sequestrado durante assalto à sua residência em Famalicão

Um homem de 27 anos foi agredido e sequestrado na última noite durante um assalto à mão armada à casa onde reside em Oliveira S. Mateus, em Famalicão, disse esta quinta-feira fonte da GNR.

Atualizado 22-02-2019 13:51

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.