Info

Donald Trump nega ter trabalhado para o governo russo

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Washington, 14 jan (Lusa) -- O Presidente dos EUA, Donald Trump, negou hoje alguma vez ter trabalhado para o Governo russo, respondendo a uma pergunta a que se tinha esquivado durante o fim de semana.

"Eu nunca trabalhei para a Rússia", afirmou Donald Trump aos jornalistas, nos jardins da Casa Branca, minutos antes de partir para Nova Orleães, em referência às acusações de conluio com o Governo russo que terá interferido no resultado das eleições presidenciais de 2016.

No sábado, Donald Trump tinha recusado responder a um jornalista da cadeia televisiva Fox News que o interrogou sobre se alguma vez tinha trabalhado para o Governo russo, alegando que a questão era até insultuosa.

O Presidente dos EUA aproveitou ainda a presença dos jornalistas, hoje na Casa Branca, para acusar as antigas direções do FBI e do Departamento de Justiça (que, entretanto, demitiu e substituiu) de serem constituídas por "canalhas conhecidos" e "polícias sujos".

A decisão de demitir o antigo diretor do FBI James Comey é uma das questões a ser analisadas pelo procurador especial Robert Mueller, no âmbito da investigação sobre o alegado conluio entre a equipa de campanha de Donald Trump e o Governo russo para interferir nas eleições presidenciais de 2016.

RJP // FPA

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Polícia de Hong Kong usa balas de borracha contra manifestantes antigovernamentais

Hong Kong, China, 21 jul 2019 (Lusa) -- A polícia de Hong Kong usou hoje balas de borracha contra os manifestantes antigovernamentais que ainda permaneciam nas ruas daquele território, depois de um novo grande protesto, segundo a agência noticiosa France Presse (AFP).

Polícia de Hong Kong recorre a gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes antigovernamentais

Hong Kong, China, 21 jul 2019 (Lusa) -- A polícia de Hong Kong recorreu hoje a gás lacrimogéneo para dispersar vários grupos de manifestantes que ainda permaneciam nas ruas daquele território, após um novo grande protesto antigovernamental.

Quase meio milhão de pessoas em protesto nas ruas de Hong Kong

Hong Kong, China, 21 jul 2019 (Lusa) - Quase meio milhão de pessoas desfilou hoje nas ruas de Hong Kong contra as emendas na lei da extradição e a exigir um inquérito independente sobre a atuação da polícia, indicou hoje o movimento que organizou o protesto.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.