Info

Donald Trump nega ter trabalhado para o governo russo

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Washington, 14 jan (Lusa) -- O Presidente dos EUA, Donald Trump, negou hoje alguma vez ter trabalhado para o Governo russo, respondendo a uma pergunta a que se tinha esquivado durante o fim de semana.

"Eu nunca trabalhei para a Rússia", afirmou Donald Trump aos jornalistas, nos jardins da Casa Branca, minutos antes de partir para Nova Orleães, em referência às acusações de conluio com o Governo russo que terá interferido no resultado das eleições presidenciais de 2016.

No sábado, Donald Trump tinha recusado responder a um jornalista da cadeia televisiva Fox News que o interrogou sobre se alguma vez tinha trabalhado para o Governo russo, alegando que a questão era até insultuosa.

O Presidente dos EUA aproveitou ainda a presença dos jornalistas, hoje na Casa Branca, para acusar as antigas direções do FBI e do Departamento de Justiça (que, entretanto, demitiu e substituiu) de serem constituídas por "canalhas conhecidos" e "polícias sujos".

A decisão de demitir o antigo diretor do FBI James Comey é uma das questões a ser analisadas pelo procurador especial Robert Mueller, no âmbito da investigação sobre o alegado conluio entre a equipa de campanha de Donald Trump e o Governo russo para interferir nas eleições presidenciais de 2016.

RJP // FPA

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

761 mortos nos três países afetados pelo ciclone Idai

As autoridades identificaram até ao momento 761 mortos nos três países africanos que há dez dias foram afetados pela passagem do ciclone Idai.

Número de mortos contabilizados por Moçambique devido ao ciclone sobe para 417

O número de mortos contabilizados por Moçambique, devido ao ciclone Idai, subiu este sábado para 417, anunciaram hoje as autoridades.

Forças Democráticas Sírias anunciam fim do "califado" do Estado Islâmico na Síria

As Forças Democráticas Sírias anunciaram este sábado que o "califado" do grupo extremista Estado Islâmico (EI) foi totalmente eliminado, após combates em Bagouz, o último reduto 'jihadista' na Síria.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.