Info

Enfermeiros suspendem greve cirúrgica até quinta-feira após convocatória negocial

Enfermeiros suspendem greve cirúrgica até quinta-feira após convocatória negocial
| Política
Porto Canal com Lusa

Os enfermeiros vão suspender a greve nos blocos operatórios, mas só a desconvocam se forem assumidos os compromissos exigidos na reunião marcada pelo Ministério da Saúde para quinta-feira, adiantaram os sindicatos.

O Ministério da Saúde convocou os sindicatos dos enfermeiros para uma reunião na quinta-feira com membros do Governo, que era uma das condições impostas por um sindicato para suspender a greve em blocos operatórios, com início agendado para segunda-feira e convocada até 28 de fevereiro.

"Neste momento queremos mostrar que estamos disponíveis para chegar a um entendimento. O Governo cumpriu a sua palavra. Nós, de boa-fé, mantemos a suspensão [até quinta-feira]. Se a greve acontece ou não depende dos resultados da reunião que vai acontecer", disse à Lusa a dirigente da Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros (ASPE) Lúcia Leite, que em conjunto com o Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal (Sindepor) integra uma das mesas negociais que com representantes do Ministério da Saúde e do Ministério das Finanças têm negociado a revisão da carreira de enfermagem.

Na reunião de sexta-feira, os sindicatos não conseguiram que o Governo assinasse o memorando de entendimento proposto pelas estruturas representativas dos enfermeiros, ainda que reconheçam que o executivo cedeu em algumas das exigências dos profissionais, como a criação da categoria de enfermeiro especialista e o descongelamento das progressões na carreira para todos os enfermeiros.

No entanto, afirmou Lúcia Leite, sem um documento assinado na próxima quinta-feira que comprometa o Governo em relação a todas as reivindicações dos enfermeiros a greve não será desconvocada.

Referindo-se a declarações da ministra da Saúde, Marta Temido, que na sexta-feira, no lançamento do programa de financiamento do novo Hospital Central do Alentejo, em Évora, disse querer para os enfermeiros condições de equidade com outras profissões, mas sem pôr em causa a sustentabilidade das contas públicas, Lúcia Leite disse que os enfermeiros "não vão abdicar" dessa equidade.

Segundo Lúcia Leite, a reunião com o Governo acontece na próxima quinta-feira, às 17:00, com a presença da ministra da Saúde, Marta Temido, e representantes do Ministério das Finanças.

A ronda negocial relativa à carreira de enfermagem resultou em algumas cedências aos profissionais - como a criação da categoria de enfermeiro especialista e o descongelamento das progressões na carreira - mas não em todas as reivindicações sindicais, que exigem também aumentos salariais e a antecipação da idade da reforma.

A greve convocada para se iniciar na segunda-feira segue o modelo da que já ocorreu entre 22 de novembro e 31 de dezembro e que teve origem num movimento de enfermeiros que lançou uma recolha de dinheiro numa plataforma 'online' para ajudar a financiar os colegas durante a paralisação.

Na ocasião, a recolha de fundos atingiu 360 mil euros e hoje os enfermeiros voltaram a atingir o objetivo financeiro para a greve prevista para arrancar na segunda-feira, tendo a recolha de fundos através de uma plataforma 'online' ultrapassado os 400 mil euros pretendidos.

Às 14:30 de hoje o valor estava nos 403 mil euros.

A greve convocada poderá afetar blocos cirúrgicos de sete centros hospitalares: os dois centros do Porto, Braga, Vila Nova de Gaia/Espinho, Entre Douro e Vouga, Tondela/Viseu e Garcia de Orta.

+ notícias: Política

CIM do Cávado diz que "há ministros menos descentralizadores" daí o processo "ser manco"

O Ministro da Administração Interna (MAI) esteve, esta terça-feira, reunido com os autarcas dos seis municípios da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Cávado. O tema da descentralização marcou o encontro, uma vez que os municípios da região rejeitaram a transferência de competências. Ricardo Rio, presidente da CIM do Cávado, afirma que "há ministros menos descentralizadores" do que Eduardo Cabrita, daí o processo de descentralização "ser mais manco" do que a CIM gostaria.

Rui Moreira quer retirar à Área Metropolitana do Porto competências sobre STCP

O presidente da Câmara Municipal do Porto afirmou esta terça-feira que é intenção do executivo "retirar definitivamente" à Área Metropolitana do Porto as competências de monitorização que exerce sobre a Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP).

Rui Rio pede resolução dos problemas das bolsas e do alojamento no Ensino Superior

O líder do PSD defendeu esta terça-feira que "o país tem de ter um Governo que resolva o problema das bolsas e do alojamento" no Ensino Superior, considerando que um jovem não pode desistir dos estudos por falta de financiamento.

Atualizado 26-06-2019 11:05

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.