Info

Peregrinos dos Caminhos de Santiago registados em Caminha cresceram 21,3% num ano

| País
Porto Canal com Lusa

Caminha, Viana do Castelo, 11 jan (Lusa) - O número de peregrinos dos Caminhos de Santiago de Compostela, na Galiza, registado nos dois postos de turismo de Caminha, no Alto Minho, cresceu 21,3% em um ano, informou hoje a Câmara local.

Em comunicado, aquela autarquia do distrito de Viana do Castelo adiantou que os valores contabilizados, em 2018, nos postos de turismo de Caminha e Vila Praia de Âncora, "traduzem a procura crescente e consolidada do concelho também por este tipo de turismo".

"Este registo junta-se aos valores do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgados na semana passada, que apontam para um recorde absoluto de hóspedes e dormidas no concelho de Caminha, no ano de 2017", reforçou o município.

O distrito de Viana do Castelo é atravessado por duas rotas seculares do Caminho Português de Santiago, na Galiza, uma pelo interior e outra junto à orla marítima.

Segundo o 'site' Alto Minho, a rota do interior faz-se por Ponte de Lima até Valença, num total de 38 quilómetros que integram a estrada real (Porto-Barcelos-Ponte de Lima-Valença), considerada a espinha dorsal dos caminhos portugueses de Santiago, onde confluem quase todos os demais percursos.

Segundo a Câmara de Caminha, "o número de peregrinos que pernoitaram no albergue de Caminha, gerido pela Associação dos Amigos do Caminho de Santiago de Viana do Castelo, cresceu, em 2018, 30,5% relativamente a 2017".

"A Alemanha é o país que mais peregrinos coloca no nosso concelho. Nos nossos postos de turismo, a procura por parte dos alemães cresceu 44% relativamente ao ano anterior, seguidos de peregrinos oriundos de Espanha, Portugal, Itália e Reino Unido", especificou.

Para o presidente da Câmara de Caminha, Miguel Alves, citado naquela nota, "os números do INE e dos postos de turismo relativos aos peregrinos de Santiago de Compostela vêm confirmar a aposta certeira do município na indústria do turismo e, na valorização do território".

"O número de turistas em Caminha cresce a um ritmo superior ao do país e da região e os Caminhos de Santiago são um forte veículo de atração. Existe de facto uma estratégia consolidada, para a qual contribui o investimento que a Câmara fez na melhoria das condições do Caminho, da sinalética e da sua divulgação, a aposta que muitos hotéis e restaurantes têm feito na promoção de produtos dirigidos aos peregrinos e a tomada de consciência global sobre a beleza e segurança do Caminho Português da Costa vem resultando neste forte crescimento. Creio que estamos todos de parabéns, autarcas, empresas, instituições e população", concluiu o autarca.

Caminha integra a candidatura Valorização dos Caminhos de Santiago - Caminho Português da Costa, que reúne um total de dez municípios.

O projeto integra-se numa rede intermunicipal, coordenada tecnicamente pela Câmara de Viana do Castelo, e onde são parceiros os municípios do Porto, Matosinhos, Maia, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Esposende, Caminha, Vila Nova de Cerveira e Valença.

A "Valorização dos Caminhos de Santiago - Caminho Português da Costa" resulta de uma candidatura conjunta ao Norte 2020, de 1,6 milhões de euros, com o objetivo de valorizar e reconhecer oficialmente este Caminho como itinerário da peregrinação a Santiago.

Valença dispõe do primeiro albergue do peregrino do Alto Minho. Abriu em fevereiro de 2005.

O segundo albergue do distrito foi inaugurado em maio de 2006 em Rubiães, Paredes de Coura.

Em 2009 abriu o albergue de Ponte de Lima e, em 2012, o de Caminha.

Em novembro, Viana do Castelo inaugurou no Hospital Velho, que chegou a ser albergue de peregrinos, um centro interpretativo do percurso pela costa.

Além da rota pelo interior, "o Caminho Português da Costa liga o Porto a outros concelhos costeiros do Litoral Norte, com a alternativa de ligação à Galiza ultrapassando o rio Minho em La Guardia (frente a Caminha), Goian (através de Vila Nova de Cerveira) ou mesmo a Tui (por Valença do Minho)".

ABYC // MSP

Lusa/Fim

+ notícias: País

Tecnologia 'morta' nas esquadras impede PSP e GNR de ceder à base de dados de informação policial

Milhares de computadores das esquadras da PSP e da GNR estão sem acesso à base de dados do sistema de informações. Tudo porque são antigos e não suportam a última atualização do Sistema. O Governo desmente.

GNR aumentou psicólogos e faz reavaliação psicológica ao efetivo

 A GNR aumentou o número de psicólogos e de psiquiatras ao serviço dos militares da corporação e está a realizar uma reavaliação psicológica do efetivo como medida de prevenção do suicídio.

Bastonário defende maior aposta na prevenção e cheque-dentista para menores de 6 anos

O bastonário dos médicos dentistas defende uma maior aposta na prevenção em detrimento da abordagem direcionada para o tratamento na área da saúde oral, considerando que não faz sentido o cheque dentista não abranger menores de seis anos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.