Info

Brasil regista inflação de 3,75% em 2018

| Economia
Porto Canal com Lusa

São Paulo, Brasil, 11 jan (Lusa) - A inflação no Brasil em 2018 foi de 3,75%, resultado dentro da meta estabelecida pelo Governo de 4,5% com margem de 1,5 pontos percentuais para mais ou para menos, divulgou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo o órgão de pesquisas brasileiro, a inflação no Brasil em 2018 foi pressionada principalmente pelos preços dos produtos e serviços de habitação, transportes e alimentos. Juntos, estes três grupos foram responsáveis por 66% do índice.

O resultado da taxa de inflação no país veio dentro do esperado pelos agentes do mercado, que previam uma inflação de 3,69%, segundo a última pesquisa do boletim Focus divulgada pelo Banco Central brasileiro.

Em dezembro, a alta de preços no país atingiu a menor taxa desde 1994 ficando em 0,15% face aos 0,44% registados no mesmo mês em 2017.

A inflação neste mês foi impulsionada pelas altas dos produtos ligados aos grupos alimentação e bebidas (0,44%), vestuário (1,14%) e saúde e cuidados pessoais (0,32%), que contribuíram com 0,21 pontos percentuais para o índice.

Por outro lado, os transportes (-0,54%) e habitação (-0,15%) seguraram o índice com contribuição negativa de 0,12 pontos percentuais.

O IBGE informou ainda que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que considera a cesta de produtos das famílias com rendimento de um a cinco salários, também ficou em 0,14% em dezembro e fechou o ano em 3,43%.

CYR // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Contribuintes que ganham mais de mil euros continuam a reter IRS a mais

A atualização das tabelas de retenção para 2019 continua a não refletir integralmente o alargamento dos escalões do IRS de 2018 para a generalidade dos trabalhadores e pensionistas com rendimento a partir de mil euros, segundo os cálculos da PwC.

Preço das casas sobe 4,3% na zona euro no 3.º trimestre e em Portugal quase o dobro

O preço homólogo das casas aumentou 4,3% tanto na zona euro quanto na União Europeia (UE) no terceiro trimestre de 2018, com Portugal a registar uma subida de quase o dobro da média (8,5%), segundo o Eurostat.

Retenção na fonte de salários médios ainda não reflete totalmente mudança no IRS

As tabelas de retenção na fonte para 2019 vão aumentar o rendimento líquido de maioria dos contribuintes, mas não refletem ainda integralmente o efeito da reorganização dos escalões do IRS e descida de taxas observado em 2018, segundo a consultora Deloitte.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.