Info

Aliança desafia partidos que não apoiam Governo de Costa para coligação pós-eleitoral

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 11 jan (Lusa) -- O líder do partido Aliança, Pedro Santana Lopes, desafiou hoje os partidos que não apoiam o executivo socialista a formar um "acordo pós-legislativas" que derrote António Costa e viabilize um novo Governo.

"Neste ano eleitoral não podemos ignorar a realidade. Temos de derrotar a frente de esquerda e o Governo de António Costa", começou por dizer Santana Lopes na intervenção de abertura do segundo dia da primeira Convenção da Europa e da Liberdade, organizada pelo Movimento Europa e Liberdade (MEL).

Para o concretizar, a "Aliança quer apresentar uma proposta simples, que os partidos que não estão envolvidos nessa solução inédita e de efeitos conhecidos no nosso país, admitam a constituição de uma grande aliança, um grande movimento de crescimento, liberdade e progresso".

Neste movimento "devem estar os partidos mais tradicionais já existentes, os que já se constituíram e aqueles que estão, por ventura prometidos nascer", apontou.

Para Santana Lopes, existiriam duas possibilidades, uma "coligação pré-eleitoral com base nos resultados das europeias", ou uma "coligação pós-eleitoral, com base nos resultados das eleições legislativas".

A primeira "não recolhe a preferência da Aliança", destacou, apontando que, na sua opinião, também "não é viável no atual quadro por razões que parecem óbvias".

"A opção que admitimos, ou seja, a de um acordo pós-legislativas pressupõe naturalmente o que parece muito difícil hoje em dia, mas que tem o nosso empenho. Que as forças do centro-direita assumam a vontade e o propósito de viabilizarem conjuntamente a formação de um Governo patriótico, que inicie um novo ciclo político, económico e social", assinalou.

FYM // JPS

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Governo prevê aplicar 22 mil milhões de euros em 70 projetos do Plano Nacional de Investimento 2030

O Plano Nacional de Investimentos 2030 apresentado pelo Governo prevê aplicar quase 22 mil milhões de euros em mais de 70 projetos, sobretudo na área da mobilidade e dos transportes. Ainda assim há várias situações no Norte do país que continuam sem solução à vista.

Autarca do Centro Histórico do Porto denuncia "caos" causado por alojamento local ilegal

O presidente da Junta da União de Freguesias do Centro Histórico do Porto denunciou esta segunda-feira que o "caos" provocado pelo alojamento local, onde novos registos estão proibidos pelo menos por seis meses, é causado pelo alojamento "paralelo".

Autarca de Barcelos retoma funções e quer ir à Câmara presidir às reuniões

O presidente da Câmara de Barcelos, Miguel Costa Gomes (PS), retoma esta segunda-feira funções e vai pedir autorização ao juiz para se poder deslocar aos Paços do Concelho para as reuniões do executivo, disse um advogado do autarca.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.