Info

Taxas Euribor mantêm-se a três e seis meses e sobem a 12 meses

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 11 jan (Lusa) -- As taxas Euribor mantiveram-se hoje a três e seis meses e subiram a 12 meses em relação a quinta-feira.

A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril de 2015, voltou hoje pela quarta sessão consecutiva a ser fixada em -0,308%, contra o mínimo de sempre, de -0,332%, registado pela primeira vez em 10 de abril de 2017.

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno negativo pela primeira vez em 06 de novembro de 2015, também voltou hoje a ser fixada, mas pela quinta sessão consecutiva, em -0,236%, contra o atual mínimo de sempre, de -0,279%, registado pela primeira vez em 31 de janeiro de 2018.

No prazo de 12 meses, a taxa Euribor, que desceu para valores abaixo de zero pela primeira vez em 05 de fevereiro de 2015, subiu hoje para -0,117%, mais 0,001 pontos e contra o atual mínimo de sempre, de -0,194%, atingido pela primeira vez em 18 de dezembro de 2017.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

MC // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Greve dos motoristas de transportes de passageiros do Norte com 60% de adesão

A greve dos motoristas do setor privado de transporte de passageiros do Norte, que começou esta segunda-feira, está a registar uma adesão de cerca de 60%, tendo provocado “maiores dificuldades” ao início da manhã no transporte escolar, segundo fonte sindical.

Fisco vai ter um serviço de apoio e defesa do contribuinte

A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) vai ter um serviço de apoio e defesa do contribuinte e um subdiretor-geral responsável exclusivamente pela relação com os contribuintes, disse à agência Lusa o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais.

Saldos de contas representaram um terço das penhoras fiscais em 2018

A Autoridade Tributária e Aduaneira concretizou 303.114 penhoras de bens e direitos em 2018 a contribuintes com dívidas fiscais e cerca de um terço incidiu sobre saldos de contas bancárias, revelam os dados do Ministério das Finanças.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.