Info

Ministério Público investiga Bruno Caetano da TVI por alegados crimes de discriminação

Ministério Público investiga Bruno Caetano da TVI por alegados crimes de discriminação
| País
Porto Canal com Lusa

O Ministério Público está a investigar Bruno Caetano, que a TVI identifica como repórter, por alegadas práticas de crimes de discriminação e de incitamento ao ódio, revela esta quarta-feira o Jornal de Notícias (JN).

De acordo com a notícia publicada no ‘site’ do Jornal de Notícias, o caso não tem a ver com o convite de Mário Machado para ir ao programa televisivo, no âmbito da rubrica “Diga-me de sua (In) Justiça”, da responsabilidade de Bruno Caetano, mas sim com “dois episódios semelhantes em novembro de 2017”.

Segundo o JN, o inquérito a cargo do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, confirmado pela Procuradoria-Geral da República (PGR), foi desencadeado por um ‘post’ violento que Bruno Caetano divulgou na rede social Facebook, onde aludiu a determinada etnia, e por um direto na então rubrica "Crónica Criminal".

O inquérito ainda "não tem arguidos constituídos", de acordo com o JN.

O diário apurou ainda junto da Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial que os factos remontam à emissão de 02 de novembro de 2017, acabando por ser a Entidade Reguladora para a Comunicação Social a encaminhar o caso para o MP, além de ter feito uma recomendação à TVI, para que evitasse estes comportamentos.

Segundo o JN, Bruno Caetano colocou naquela data um ‘post’ onde se queixou da violência desencadeada "claramente" por pessoas de determinada etnia, apagando depois a publicação, perante a reação dos seus seguidores.

No entanto, no direto na TVI, reagiu de igual forma como no caso do nacionalista Mário Machado: queixou-se de receber ameaças, insistiu que não era "xenófobo", e usou de novo uma "linguagem e interpretações" consideradas racistas, ao associar a etnia das pessoas a atos de violência, segundo o jornal.

Mário Machado, ex-líder da Frente Nacional esteve preso dez anos, em cúmulo jurídico, por crimes como discriminação racial, coação agravada, posse ilegal de arma, danos e ofensa à integridade física qualificada.

Um dia depois de o programa ter sido emitido, o Sindicato dos Jornalistas anunciou a apresentação de uma queixa contra a TVI junto do regulador e da Assembleia da República pela presença de Mário Machado no programa da TVI

Num comunicado intitulado "Em nosso nome não!", publicado na página da Internet, o Sindicato dos Jornalistas (SJ) considerou “inqualificável o tempo e o espaço concedido pelo canal de televisão TVI a Mário Machado, conhecido líder da extrema-direita, várias vezes condenado e preso por diversos crimes".

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) encontra-se a analisar as queixas de vários telespetadores sobre a presença de Mário Machado, líder do movimento de extrema-direita Nova Ordem Social, no programa da manhã da TVI.

Já as direções de informação e de programas da TVI afirmaram estar comprometidas com a emissão de "uma programação diversificada" e que "o debate entre diferentes correntes de opinião (...) faz parte de uma sociedade democrática, plural e tolerante".

+ notícias: País

PJ recupera as 430 unidades do potente analgésico desaparecido no início do mês

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou este sábado ter recuperado as 430 embalagens do potente analgésico Fentanilo Basi, que haviam desaparecido no início do mês, mas não precisou o local, nem constituiu arguidos, prosseguindo ainda as investigações.

Rui Pinto vai ficar em prisão preventiva

O português Rui Pinto ficou em prisão preventiva, decidiu hoje o Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, onde o colaborador do 'Football Leaks' foi presente a um juiz de instrução criminal para primeiro interrogatório judicial.

Professores preparam protesto contra descongelamento de carreiras

Os professores vão realizar, este sábado, uma manifestação em Lisboa para mostrar que não ficaram satisfeitos com o diploma promulgado que decreta a recuperação de apenas dois anos de serviço.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.