Info

Governo propõe que salário base da administração pública aumente para 635 euros

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 07 dez (Lusa) -- O Governo propôs hoje aos sindicatos um aumento no nível mais baixo de remuneração da administração pública de 580 euros para 635 euros, revelou o Ministério das Finanças.

"O Governo propôs hoje uma medida que concilia a dimensão financeira, jurídica, e política: o aumento da base remuneratória da administração pública, elevando-o para o montante correspondente ao atual 4.º nível remuneratório da Tabela Remuneratória Única (TRU), ou seja, elevar a remuneração mais baixa dos atuais 580 euros para 635 euros", disse, em comunicado, o Ministério das Finanças.

Os sindicatos da função pública foram chamados hoje ao Ministério das Finanças, em Lisboa, para discutir a política de admissões no Estado, mas as estruturas disseram à Lusa que vão aproveitar para exigir respostas sobre os aumentos salariais para 2019.

Também hoje, na reunião da Concertação Social, o Governo propôs que o valor do salário mínimo nacional seja fixado nos 600 euros a partir de 01 de janeiro de 2019. O salário mínimo nacional é atualmente de 580 euros.

As confederações patronais admitiram um acordo na Concertação Social para aumentar o salário mínimo nacional, desde que seja para 600 euros em 2019, mas as centrais sindicais recusaram, exigindo um montante superior.

PE (DF) // CSJ

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Governo vai analisar projeto ferroviário para o Vale do Sousa

O Governo vai estudar o projeto de construção de uma linha férrea proposta por cinco autarcas. O objetivo da linha do Vale do Sousa, que terá 36 quilómetros, será para ligar Valongo a Felgueiras, passando por Paredes, Paços de Ferreira e Lousada.

Governo reforça equipa de manutenção do Metro do Porto e CP

A empresa que faz a manutenção do Metro do Porto e da CP contratou mais 110 trabalhadores. O Governo acredita que este investimento vai permitir melhorar o setor que tem passado por sucessivas greves e avarias com consequências para a circulação, como acontece com o Alfa Pendular para Braga.

Ministra diz que estatuto do cuidador informal não é exclusivo do Ministério da Saúde

A Ministra da Saúde diz que "não fazia sentido" detalhar na Lei de Bases da Saúde um estatuto do cuidador informal, porque é uma matéria que diz respeito a vários setores e não apenas à Saúde.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.