Info

Direção da Turismo do Porto e Norte demite-se após detenção do seu presidente

| Política
Porto Canal com Lusa

Três dos cinco elementos da comissão executiva da Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) apresentaram hoje a sua demissão, provocando a marcação de eleições antecipadas para 18 de janeiro.

Atualizado 06-12-2018 11:47

O presidente da mesa da assembleia geral, Eduardo Vítor Rodrigues, também apresentou a demissão, pelo que aquele órgão também vai a votos na mesma data.

"Fomos hoje informados de que três dos cinco elementos da comissão executiva apresentaram a demissão e fizeram-no hoje mesmo. Tenho que realçar e agradecer porque permitiu agilizar uma solução de maior compromisso que vai no sentido de no dia 18 de janeiro temos um ato eleitoral para a comissão executiva", disse o também presidente da Câmara de Gaia.

Eduardo Vítor Rodrigues adiantou que nas eleições também será votada uma nova assembleia geral.

O presidente da Comissão Executiva da TPNP, Melchior Moreira, está atualmente em prisão preventiva no âmbito da Operação Éter, uma investigação em curso da Polícia Judiciária sobre uma alegada viciação de procedimentos de contratação pública que culminou com a indiciação de cinco arguidos.

Entre os restantes quatro arguidos encontra-se Isabel Castro, diretora operacional da TPNP, que ficou suspensa de funções e com proibição de contactos, e Gabriela Escobar, jurista na mesma entidade, que ficou sujeita a proibição de contactos.

Eduardo Vítor Rodrigues afirmou ainda que a votação do orçamento para 2019 ficou suspensa em resultado da queda da direção.

"Apresentei uma proposta para que fosse suspensa a votação por não fazer sentido que se votasse um plano para 2019 quando vai haver eleições. Deve ser a nova direção a apresentar um orçamento no qual se reveja e não ser confrontada com um previamente aprovado", disse, adiantando que esta sugestão foi aprovada por unanimidade.

A decisão foi comunicada aos jornalistas no final de uma assembleia geral hoje na sede da TPNP em Viana do Castelo

Eduardo Vítor Rodrigues revelou que as demissões foram apresentadas pelos presidentes das câmaras de santa Maria da Feira e Vila Real e pelo representante da ARESPH, que integram a comissão executiva da TPNP.

O responsável explicou que com estas três demissões e a ausência de Melchior Moreira o órgão cai por falta de quórum.

O vice-presidente da TPNP, Jorge Magalhães, que na ausência de Melchior Moreira estava a conduzir interinamente os destinos da instituição, não apresentou a sua demissão.

+ notícias: Política

Marcelo Rebelo de Sousa não responde a Moreira e Medina mas adverte que quem quer a Regionalização não deve precipitar-se

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, advertiu esta quinta-feira que quem quer a regionalização do país não deve precipitar-se, considerando que "é preciso não cometer erros de percurso".

Rui Moreira defende que o país deve avançar com o processo de Regionalização o quanto antes

Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto, defendeu esta terça-feira que o país deve avançar para um processo de Regionalização o quanto antes. O presidente da Câmara Municipal do Porto rejeita a necessidade de um referendo ao contrário do que defende o Presidente da República.

Fernando Medina defende que a Regionalização é o processo mais benéfico para o país

Fernando Medina defende que a Regionalização é o processo que mais beneficiava o país. Até lá quer o reforço de competências das áreas metropolitanas e uma descentralização à medida de cada município.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

D'Mais

Atitudo - Artes Marciais &...

Nota Alta

"A cidade do Porto está com um...

N'Agenda

"Gosto de estar a par do rap que...