ESPECIAL CANDIDATURAS
CLIQUE AQUI PARA VER MAIS
Projeto Parceria
Porto Canal
Info

Abaixo-assinado pela "urgência" da ala pediátrica do S. João juntou 27 mil assinaturas

Abaixo-assinado pela "urgência" da ala pediátrica do S. João juntou 27 mil assinaturas
| Norte
Porto Canal com Lusa

O abaixo-assinado para proclamar que é tempo de avançar de imediato com a construção da nova ala pediátrica do hospital São João, no Porto, juntou 27 mil assinaturas, anunciou hoje um dos responsáveis.

O documento, iniciativa do movimento cívico informal "Pelo Joãozinho", vai ser enviado ao Governo de António Costa, à Assembleia da República e à Presidência da República, de forma a lembrar a "justeza e urgência" desta obra, afirmou o porta-voz do movimento, Júlio Roldão, em conferência de imprensa.

A recolha de assinaturas decorreu entre 05 de setembro e 07 de outubro e, entre os signatários, destaque para o arquiteto Álvaro Siza Vieira, a cientista Maria de Sousa, o médico Manuel Sobrinho Simões, o presidente do FC Porto, os artistas e escritores Carlos Tê, João Bicker e Manuela Espírito Santo e o bastonário da Ordem dos Médicos, José Miguel Guimarães.

O abaixo-assinado vinca que é "tempo de agir", romper o impasse e avançar de imediato com a construção da nova ala pediátrica.

Júlio Roldão disse que a decisão unânime da Assembleia da República, a 27 de novembro, para a construção da ala pediátrica através do procedimento de ajuste direto, foi "um passo importante" para que sejam cumpridos os propósitos do abaixo-assinado.

"Por outras palavras, julgamos estarem criadas as condições para, tão logo ultimados os delineamentos de projeto, tão logo concretizadas as fases preparatórias da obra, possa ser um facto o início da construção da nova ala pediátrica, tal qual reclamado no abaixo-assinado que em boa hora empreendemos", frisou.

O porta-voz do movimento manifestou "satisfação" pela iniciativa que permitiu que o "caso ala pediátrica" passasse da inação à ação.

Na sua opinião, esta movimentação, que envolveu pessoas do norte a sul do país, terá contribuído para que, a 19 de setembro, os ministros da Saúde e Finanças tenham assinado um despacho conjunto a desbloquear o processo e para que o primeiro-ministro tenha reafirmado a existência de verbas no Orçamento de Estado.

"Temos esperança de que o impasse na construção da nova ala pediátrica vai finalmente acabar e que as obras vão avançar com a máxima celeridade possível, sob a tutela do Governo e do Conselho de Administração do centro hospitalar, num quadro de investimento público no Serviço Nacional de Saúde", ressalvou.

Júlio Roldão vincou que este movimento, que já cumpriu a sua missão, vai continuar "vigilante" a esta "causa".

Há dez anos que o hospital tem um projeto para construir uma ala pediátrica, mas desde então o serviço tem sido prestado em contentores.

O parlamento aprovou a 27 de novembro, por unanimidade, a proposta de alteração do PS ao Orçamento do Estado para 2019, de forma a prever o ajuste direto para a construção da Ala Pediátrica, cuja obra o diretor clínico do São João prevê arrancar em 2019 e concluir em 2021.

+ notícias: Norte

Mondim de Basto ainda não registou nenhum caso de infeção por Covid-19

O concelho de Mondim de Basto tem conseguido estar imune ao vírus e até agora não registou nenhum caso de infeção por Covid-19. O Porto Canal foi tentar perceber o segredo para resistir a esta pandemia.

Bragança entre seis distritos em risco máximo de incêndio

Catorze concelhos dos distritos de Faro, Castelo Branco, Portalegre, Santarém, Guarda e Bragança apresentam hoje um risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Homem morre afogado na praia fluivial de Crestuma, Vila Nova de Gaia

Um homem, de cerca de 40 anos, morreu, este sábado à tarde, por afogamento, na praia fluvial de Crestuma, em Gaia, apurou o Porto Canal junto das autoridades. O acidente terá acontecido cerca das 17.40 horas e, apesar das manobras de reanimação feitas pelos técnicos, não foi possível reverter a situação. Os bombeiros de Crestuma confirmaram que o homem se encontrava alcoolizado.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.