Info

Abaixo-assinado pela "urgência" da ala pediátrica do S. João juntou 27 mil assinaturas

Abaixo-assinado pela "urgência" da ala pediátrica do S. João juntou 27 mil assinaturas
| Norte
Porto Canal com Lusa

O abaixo-assinado para proclamar que é tempo de avançar de imediato com a construção da nova ala pediátrica do hospital São João, no Porto, juntou 27 mil assinaturas, anunciou hoje um dos responsáveis.

O documento, iniciativa do movimento cívico informal "Pelo Joãozinho", vai ser enviado ao Governo de António Costa, à Assembleia da República e à Presidência da República, de forma a lembrar a "justeza e urgência" desta obra, afirmou o porta-voz do movimento, Júlio Roldão, em conferência de imprensa.

A recolha de assinaturas decorreu entre 05 de setembro e 07 de outubro e, entre os signatários, destaque para o arquiteto Álvaro Siza Vieira, a cientista Maria de Sousa, o médico Manuel Sobrinho Simões, o presidente do FC Porto, os artistas e escritores Carlos Tê, João Bicker e Manuela Espírito Santo e o bastonário da Ordem dos Médicos, José Miguel Guimarães.

O abaixo-assinado vinca que é "tempo de agir", romper o impasse e avançar de imediato com a construção da nova ala pediátrica.

Júlio Roldão disse que a decisão unânime da Assembleia da República, a 27 de novembro, para a construção da ala pediátrica através do procedimento de ajuste direto, foi "um passo importante" para que sejam cumpridos os propósitos do abaixo-assinado.

"Por outras palavras, julgamos estarem criadas as condições para, tão logo ultimados os delineamentos de projeto, tão logo concretizadas as fases preparatórias da obra, possa ser um facto o início da construção da nova ala pediátrica, tal qual reclamado no abaixo-assinado que em boa hora empreendemos", frisou.

O porta-voz do movimento manifestou "satisfação" pela iniciativa que permitiu que o "caso ala pediátrica" passasse da inação à ação.

Na sua opinião, esta movimentação, que envolveu pessoas do norte a sul do país, terá contribuído para que, a 19 de setembro, os ministros da Saúde e Finanças tenham assinado um despacho conjunto a desbloquear o processo e para que o primeiro-ministro tenha reafirmado a existência de verbas no Orçamento de Estado.

"Temos esperança de que o impasse na construção da nova ala pediátrica vai finalmente acabar e que as obras vão avançar com a máxima celeridade possível, sob a tutela do Governo e do Conselho de Administração do centro hospitalar, num quadro de investimento público no Serviço Nacional de Saúde", ressalvou.

Júlio Roldão vincou que este movimento, que já cumpriu a sua missão, vai continuar "vigilante" a esta "causa".

Há dez anos que o hospital tem um projeto para construir uma ala pediátrica, mas desde então o serviço tem sido prestado em contentores.

O parlamento aprovou a 27 de novembro, por unanimidade, a proposta de alteração do PS ao Orçamento do Estado para 2019, de forma a prever o ajuste direto para a construção da Ala Pediátrica, cuja obra o diretor clínico do São João prevê arrancar em 2019 e concluir em 2021.

+ notícias: Norte

Uma família desalojada e nove casas atingidas com queda de grua no Porto

A grua que caiu hoje numa rua da cidade do Porto provocou o desalojamento de uma família e danos em nove casas, adiantou à Lusa fonte do Comando Distrital de Operação de Socorros (CDOS) do Porto.

Habitantes de Amarante e Celorico de Basto aliviados pela construção da barragem de Fridão não avançar

A EDP ameaça avançar sozinha para a construção da barragem de Fridão se o Governo não lhe devolver os 218 milhões de euros já investidos. É a resposta da elétrica ao anúncio do ministro Matos Fernandes, de cancelar a construção da barragem no rio Tâmega. Um anúncio que também fez reagir alguns autarcas que falam em ato criminoso e que ameaçam levar o Governo a tribunal.

Incêndio em stand na Trofa destrói 20 motos

Um incêndio num stand de motos, na freguesia de Bougado, na Trofa, distrito do Porto, destruiu hoje 20 motociclos que se encontravam na zona da oficina, disse à Agência Lusa fonte dos bombeiros locais.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS