Info

Conselho de Fundadores de Serralves reúne-se hoje

| Norte
Porto Canal com Lusa

Porto, 05 dez (Lusa) -- O Conselho de Fundadores da Fundação de Serralves reúne-se hoje, no Porto, meses depois da demissão do diretor João Ribas, cujo sucessor está ainda por ser escolhido, e a semanas de terminar o mandato do atual conselho de administração.

Ana Pinho foi nomeada presidente do conselho de administração para o triénio 2016-2018, depois de integrar o mesmo órgão, desde 2010.

Por seu lado, a direção do Museu de Arte Contemporânea de Serralves continua a ser ocupada pela diretora-adjunta, Marta Almeida, e pelo adjunto do diretor, Ricardo Nicolau, estando o cargo de diretor vago desde a demissão de João Ribas, escolhido por concurso internacional, à semelhança da antecessora, Suzanne Cotter.

Em setembro, na sequência da polémica que culminou com a demissão de João Ribas, no contexto da exposição do fotógrafo Robert Mapplethorpe, a Câmara Municipal do Porto solicitou uma reunião urgente do Conselho de Fundadores, mas o pedido foi recusado pelo presidente deste órgão, Luís Braga da Cruz.

Na altura, a autarquia lembrava ter "assento, por decreto-lei, no Conselho de Fundadores [de Serralves], que reúne ordinariamente uma vez por ano, mas que pode ser convocado extraordinariamente pelo seu presidente ou a pedido do Conselho de Administração".

No final de setembro, o então ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, disse à Lusa não ter comentários a fazer sobre a demissão de João Ribas, as acusações de censura à administração e respetivas rejeições, acrescentando que "o Governo é fundador, mas a administração e o governo da administração cabem ao seu conselho de fundadores, dado que é uma fundação privada".

O diretor artístico do Museu de Arte Contemporânea de Serralves, João Ribas, apresentou a sua demissão por considerar já não ter "condições para continuar à frente da instituição", como disse ao jornal Público.

A demissão surgiu depois de a administração ter limitado a maiores de 18 anos uma parte da exposição dedicada ao fotógrafo norte-americano Robert Mapplethorpe, comissariada por Ribas, e de ter imposto, segundo o diretor demissionário, a retirada de algumas obras com conteúdo sexualmente explícito.

Em comunicado, o conselho de administração da Fundação de Serralves contrariou essa acusação, declarando não ter retirado "nenhuma obra da exposição", composta por 159 fotografias, "todas elas escolhidas pelo curador", João Ribas.

A Fundação de Serralves considerou surpreendente o processo de contestação à presidente da instituição, Ana Pinho, e disse não ver motivos para a demissão da administração, como pediram três dezenas de manifestantes, no Porto, nesse mesmo dia.

"É uma total surpresa, e a manifestação é igualmente surpreendente", disse então à agência Lusa Isabel Pires de Lima, em representação do conselho de administração da fundação, que, desde então, já marcou presença -- tal como Ribas - numa audição parlamentar sobre o tema, na qual os argumentos das duas partes voltaram a ser reiterados.

TDI (ACG/VYSM/SYF/SPYC/FPA/CCM) // MAG

Lusa/fim

+ notícias: Norte

Um morto e três feridos em colisão de viaturas junto à Trofa

Um homem de 21 anos morreu e três ficaram feridos numa colisão entre dois automóveis ligeiros na Estrada Nacional 14 junto à Trofa, no distrito do Porto, na madrugada deste sábado, disse à Lusa fonte dos bombeiros locais.

Greve do Metro do Porto desconvocada após acordo

A greve na Metro do Porto, marcada para os dias 17 e 31 de dezembro, foi desconvocada depois de a empresa ter chegado a acordo com o Sindicato dos Maquinistas de Caminho-de-Ferro, anunciou hoje aquela estrutura.

Reclusos de Paços de Ferreira provocaram desacatos contra greve dos guardas prisionais

Os reclusos do Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira provocaram hoje de manhã desacatos em protesto contra o incumprimento dos serviços mínimos decretados para a greve dos guardas prisionais, avançou à Lusa a Associação de Apoio ao Recluso.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.