Info

Homem que matou a ex-mulher por asfixia condenado no Porto a 16 anos de prisão

| Norte
Porto Canal com Lusa

O Tribunal de São João Novo, no Porto, aplicou hoje 16 anos de prisão a um homem que se provou ter matado por asfixia a ex-companheira, em outubro de 2017.

Atualizado 05-12-2018 12:55

O arguido, que em audiência se remeteu ao silêncio, foi condenado por um crime de homicídio qualificado.

O tribunal considerou que o arguido matou a mulher por causa da relação que aquela mantinha com o seu patrão e que não evidenciou remorso.

Nas alegações finais, em 24 de setembro, o Ministério Público (MP) pediu a condenação do arguido, sem apontar uma pena concreta.

Já a advogada de defesa, Poliana Pinto Ribeiro, considerou que ficou por provar em audiência a associação do arguido ao crime.

Disse mesmo ser "perigoso" e "violador" dos direitos do arguido condenar com base na exclusão de terceiros e não em provas concretas contra o acusado. E anunciou que vai recorrer do acórdão.

A acusação do processo indica que o acusado, de 57 anos, suspeitava que a vítima, de 40 anos, com quem mantivera uma relação de união de facto até 2015, tinha um relacionamento amoroso com outro homem.

Face a essa desconfiança, em 30 de outubro de 2017 dirigiu-se ao quarto em que a mulher residia, na rua Álvares Cabral, na cidade do Porto, e questionou-a quanto a esse relacionamento, mas ela não lhe respondeu e ordenou-lhe que fosse embora.

"O arguido lançou-lhe as mãos ao pescoço e procurou asfixiá-la, o que veio a conseguir tapando-lhe boca e nariz com uma peça de roupa, assim dando causa à sua morte", refere o MP.

Só cerca de uma semana após a morte da mulher se soube da ocorrência.

+ notícias: Norte

ANA vai 'pagar' 15 milhões de euros por um 'remendo' no aeroporto Sá Carneiro

A ANA Aeroportos vai pagar 15 milhões de euros para fazer obras no aeroporto Francisco Sá Carneiro, do Porto, que não vão resolver na totalidade o problema da pista. O aeroporto é dos poucos na europa que não têm ligação direta do terminal ao final da pista e as obras só resolvem parte do problema, que limita o número de aterragens na pista.

Trânsito cortado por seis horas após camião capotar com material hospitalar na Maia

Um camião que transportava material hospitalar contaminado capotou esta terça-feira de manhã numa rotunda de acesso à A41 perto da zona industrial da Maia, no Porto, obrigando ao corte do trânsito durante quase seis horas e à limpeza da estrada.

Ministro do Ambiente esclarece que apesar das obras na Ponte D. Luís I vai ser possível transitar na mesma

O ministro do Ambiente já se manifestou sobre a questão da circulação na ponte D. Luís I e diz que apesar das obras vai ser possível transitar na ponte. Recorde-se que foi detetada uma avaria num dos aparelhos de dilatação da estrutura.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.