Info

Cerca de 500 trabalhadores de IPSS protestaram no Porto contra salários baixos

| Norte
Porto Canal com Lusa

Cerca de 500 trabalhadores de Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) desfilaram esta sexta-feira no Porto reivindicando melhores salários, numa altura em que mais de metade dos 200 mil trabalhadores do setor recebem o salário mínimo.

Atualizado 01-12-2018 13:38

O responsável da Federação dos Sindicatos da Função Pública, António Macário, disse à agência Lusa que "os salários auferidos são de tal maneira baixos que quase metade dos trabalhadores ganham apenas o salário mínimo nacional e os restantes pouco mais ganham".

A manifestação decorreu entre a Avenida dos Aliados e a Ribeira após o que os representantes sindicais foram recebidos pelo presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS), o padre Lino Maia, que se "mostrou sensibilizado para a situação dos funcionários das IPSS sem, contudo, apresentar nenhuma solução para o problema", referiu António Macário.

Para "tentar encontrar soluções ficaram marcadas novas reuniões para breve entre a federação dos sindicatos e a CNIS", acrescentou o sindicalista que, uma vez apurado o sucesso destes encontros "será definido se os trabalhadores querem avançar para novas formas de luta".

A federação aguarda também por uma reunião pedida ao ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, revelou o responsável pelo setor social da Federação Nacional do Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais.

Segundo aquela federação, em "Portugal há cerca de 200 mil trabalhadores em seis mil instituições, sendo que pouco menos de metade recebem apenas o salário mínimo".

"Em alguma dessas IPSS há retroativos de 2017 que continuam por pagar, noutros casos está por liquidar o subsídio de férias de 2017 e 2018, bem como outras não pagaram o subsídio de natal do ano passado havendo até algumas que se preparam para pagar em prestações o subsídio deste ano", informou.

Perante isto, acrescentou, "há o risco de haver um êxodo de trabalhadores por não se conseguirem manter a ganhar tão pouco ao mesmo tempo que o grau de exigência é muito elevado".

+ notícias: Norte

Bragança tem um novo laboratório para potenciar a agricultura e o desenvolvimento sustentável

O laboratório cooperativo de Bragança abriu, no início do mês, e conta já com 24 postos de trabalho qualificados. As principais áreas de intervenção são a agricultura e o desenvolvimento sustentável e tem como objetivo promover o desenvolvimento económico da região e o emprego qualificado.

Festa no Gerês acaba com cenas de pancadaria e dois feridos no hospital

Duas pessoas ficaram feridas numa festa em Rio Caldo, no Gerês, ao final do dia deste domingo, devido a desacatos entre os intervenientes da festa - a sexta edição do “Match – Gerês Sunset”. O caso ficou viral na internet devido aos vídeos que demonstram ao aparato dos desacatos.

Incêndio destrói armazém de lenha em Santa Maria da Feira

Um incêndio destruiu este domingo ao início da tarde um armazém de lenha em Santa Maria da Feira sem causar feridos mas obrigou à retirada de um idosa acamada que estava numa casa junto ao armazém, apurou o Porto Canal no local.

Atualizado 17-06-2019 10:56

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.