Info

Prisão preventiva para militar suspeito de matar outro no regimento de Comandos

Prisão preventiva para militar suspeito de matar outro no regimento de Comandos
| País
Porto Canal com Lusa

O militar suspeito de ter matado outro militar, em setembro, no Regimento de Comandos, vai ficar em prisão preventiva, determinou esta sexta-feira o Tribunal de Instrução Criminal de Sintra, disse à agência Lusa fonte judicial.

O soldado foi detido pela Polícia Judiciária Militar (PJM) na quarta-feira, indiciado pelo homicídio de um outro militar, a 21 de setembro deste ano, com uma arma de fogo de calibre militar, no Regimento de Comandos na Carregueira, concelho de Sintra.

Presente a primeiro interrogatório judicial, um juiz de instrução criminal do Tribunal de Sintra aplicou-lhe hoje a medida de coação mais gravosa: prisão preventiva.

Na quarta-feira, a PJM indicou que o militar foi detido no Regimento de Comandos, no quartel da Carregueira, em Sintra.

O "presumível homicídio" ocorreu a 21 de setembro, naquele regimento, às 19h42, anunciou nesse dia o Exército, que chamou ao local a PJM e a PSP.

No dia dos factos, o Exército escusou-se a adiantar as circunstâncias em que ocorreu a morte de Luís Teles, de 23 anos, natural da Madeira, referindo apenas que morreu na sequência de um ferimento causado pelo disparo de uma arma de fogo.

+ notícias: País

Incêndio numa casa de Santa Comba Dão provoca três feridos, um deles grave

Um ferido grave, dois feridos ligeiros e um assistido é o balanço de um incêndio registado esta segunda-feira numa casa em Santa Comba Dão, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Viseu.

Chuva regressa ao país a partir desta segunda-feira

A chuva regressa a partir dsta segunda-feira a Portugal continental, mas com temperaturas que podem chegar aos 30 graus Celsius nas regiões do Alentejo, disse à Lusa a meteorologista Joana Sanches.

Autarquia de Viseu diz que solução encontrada para os doentes oncológicos não pode ser definitiva

O Centro Hospitalar Tondela-Viseu vai receber um reforço de médicos de Coimbra e Vila Real, para que os doentes oncológicos não sejam deslocados. Uma solução que resolve o problema no imediato mas autarquia e doentes dizem que não pode ser definitiva.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.