Info

Reabertura parcial do IP1 em Valença após acidente que causou um morto

Reabertura parcial do IP1 em Valença após acidente que causou um morto
| Norte
Porto Canal com Lusa

O itinerário principal 1 (IP1) em Valença foi parcialmente reaberto ao trânsito, após um acidente na quarta-feira à noite, que causou um morto, disse hoje à Lusa fonte da GNR de Viana do Castelo.

O IP1 em Valença "na via Norte-Sul foi reaberto às 04:17", acrescentou a mesma fonte.

O acidente, no qual morreu um homem de 42 anos, envolveu três veículos e obrigou ao corte de trânsito naquela via, indicou uma fonte da Proteção Civil.

"Dois veículos pesados, um deles que transportava lenha a granel, colidiu com outro, sendo que um dos pesados galgou o separador central do IP1 e foi embater num veículo ligeiro que seguia no sentido Sul/Norte, de Portugal para Espanha", explicou a fonte.

A Proteção Civil adiantou que o "veículo ligeiro caiu do viaduto do IP1, de uma altura de pelo menos 15 metros".

"Os motoristas dos dois veículos pesados foram assistidos no local e recusaram transporte ao hospital", referiu.

Ao local compareceram um total de 24 operacionais e 11 viaturas dos Bombeiros Voluntários de Valença, da ambulância de Suporte Imediato de Vida, da Viatura de Emergência Médica e Reanimação de Viana do Castelo e a GNR.

+ notícias: Norte

Dois feridos graves em Alijó em tentativa de homicídio com arma de fogo

Duas pessoas ficaram esta quarta-feira gravemente feridas em Alijó, distrito de Vila Real, na sequência de um disparo com uma arma de fogo, disseram à Lusa fontes do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) e dos bombeiros.

Afinal como é que é confecionado o bolo-rei?

Natal é sinónimo de doces tradicionais sendo que o tão conhecido bolo-rei faz a delícia de muitos portugueses. Como tal, a jornalista Cláudia Fonseca foi perceber como se faz esta iguaria.

Um morto em despiste na VRI em Matosinhos

O despiste de uma viatura na Via Regional Interior (VRI), em Matosinhos, provocou esta quarta-feira a morte do seu condutor, disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) do Porto.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.