Info

SATA/Privatização: Concurso anulado após divulgação de documentos que causaram "sério dano"

| Economia
Porto Canal com Lusa

Ponta Delgada, Açores, 09 nov (Lusa) - O concurso para a privatização de 49% da Azores Airlines foi anulado após a divulgação de documentos que causaram um "sério dano ao grupo SATA e aos Açores", anunciou hoje o Governo dos Açores.

Em nota de imprensa, o Governo dos Açores diz que "decidiu dar orientações ao conselho de administração do grupo SATA para anular o presente concurso público de privatização de 49% do capital social da Azores Airlines e preparar o lançamento de um novo concurso com o mesmo objetivo".

Em causa estão notícias da RTP/Açores, citando documentos privados da comissão de inquérito do parlamento açoriano ao setor empresarial público, indicando que não havia uma proposta formal apresentada pelos islandeses da Icelandic, única entidade qualificada para a segunda fase da alienação, antes o intuito de abrir um período de negociações com a SATA.

Esta manhã, a secretária regional com a tutela dos Transportes, Ana Cunha, disse aos jornalistas que havia uma proposta formal da Icelandic para a compra de 49% da Azores Airlines e não apenas uma carta pedindo o abrir de negociações.

PPF // MCL

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Trabalhadores de hiper e supermercados marcam greve para o Dia do Trabalhador

Os trabalhadores da grande distribuição, onde estão incluídos os do Pingo Doce, Continente, Jumbo e Minipreço, emitiram um pré-aviso de greve para o 1º de Maio, Dia do Trabalhador, tal como aconteceu em anos anteriores.

Portugal com 3ª maior dívida pública da União Europeia em 2018

Portugal registou a terceira maior dívida pública da União Europeia (UE) em 2018, ao atingir 121,5% do produto interno bruto (PIB), divulgou hoje o gabinete de estatísticas comunitário, o Eurostat, que confirmou um défice orçamental de 0,5%.

Economistas destacam otimismo do Governo para 2019 e pouca ambição na reforma do Estado

Economistas sondados pela Lusa consideram otimista a estimativa do Governo para o crescimento económico e défice em 2019, e referem que o Programa de Estabilidade (PE) "é pouco ambicioso" ao nível da reforma do Estado.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.