Info

Underground Gallery 40 abre sexta-feira em Lisboa com a exposição "Hipermnésia"

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 08 nov (Lusa) - A Underground Gallery 40 vai abrir na sexta-feira ao público, na avenida 5 de Outubro, em Lisboa, com a exposição coletiva "Hipermnésia", assente no tema da perturbação da memória.

A EMERGE --- Associação Cultural irá programar esta galeria de arte contemporânea e responsabilizar-se pela produção de todos os eventos que irão ser organizados, segundo um comunicado da organização.

De acordo com esta entidade, o objetivo é transformar a nova galeria, instalada na cave do Palácio Duque D'Ávila, propriedade da Worx, numa "plataforma para divulgação de arte emergente".

A EMERGE é uma associação cultural cujo principal objetivo é a promoção de arte contemporânea, com enfoque na arte emergente, tendo comemorado dois anos de existência em setembro deste ano.

A primeira exposição da galeria intitula-se "Hipermnésia", e reúne os artistas portugueses Carla Rebelo, Jorge Maciel, Márcio Carvalho e Sónia Godinho, e Francisco Vidal, de Angola, com curadoria de Jorge Reis, que apresentam obras em desenho, escultura, fotografia, instalação, vídeo e som.

O tema da memória é transversalmente abordado por cada um dos seis artistas plásticos integrados neste projeto curatorial de Jorge Reis: Carla Rebelo, Francisco Vidal, Jorge Maciel, Márcio Carvalho e Sónia Godinho.

O critério que presidiu à seleção das obras integradas nesta exposição "é apoiado na ideia de multidisciplinaridade da praxis artística como ferramenta de pensamento sobre o tema da hipermnésia". "Cada artista mostra uma preocupação singular inserida no universo da memória que se aproxima ao tema principal".

O tema principal é a memória autobiográfica, coletiva e histórica, memória do lugar, mística, construída, inconsciente, e a memória do objeto.

Um estudo realizado nos Estados Unidos, nos anos 1980, sobre a memória, é o ponto de partida para esta exposição.

O estudo foi realizado com base num questionário informal sobre memória levado a cabo pelos investigadores norte-americanos Elizabeth e Geoffrey Loftus, que revelou que 84% dos 169 cientistas inquiridos diziam acreditar que todos os acontecimentos vividos são permanentemente registados inconscientemente no nosso cérebro.

A hipermnésia é uma perturbação da memória que processa anormalmente a memória autobiográfica.

Primeiramente identificada por Clive Ballard (1913), mas não considerada como um fenómeno mental até aos anos 1970, quando Erdelyi e a sua equipa de investigadores aprofundaram os estudos neurológicos.

Investigações complementares concluíram que um paciente com diagnóstico de hipermnésia vê desabilitada a sua faculdade de interpretar, situação que perturba o processo normal de registo de novas experiências devido à permanente atualização de acontecimentos passados.

"Este paciente não tem um presente nem muito menos consegue estruturar um pensamento sobre um futuro. Só reconhece as pessoas que viveram e experienciaram acontecimentos passados com ele", indica o comunicado da galeria sobre a exposição.

AG // MAG

Lusa/Fim

+ notícias: País

'Bodyboarder' aparece são e salvo, autoridades recolhem dados para entregar ao MP

O praticante de 'bodyboard' que estava dado como desaparecido há 10 dias na Costa da Caparica apareceu e está junto da família, disse esta quarta-feira à Lusa fonte da Autoridade Marítima Nacional.

Jovem de 19 anos morre em colisão no IC2

Uma jovem de 19 anos morreu num acidente entre dois automoveis no IC2, em São João da Madeira. A via esteve cortada durante mais de três horas.

Juízes desmarcam dia de greve em janeiro após retoma de negociações com Governo

A Associação Sindical de Juízes Portugueses (ASJP) desconvocou a greve marcada para 23 de janeiro, após terem sido reatadas as negociações com o Governo sobre as alterações ao Estatuto do Magistrados Judiciais, disse o presidente da ASJP à Lusa.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.