Info

Cerca de 750 mil raparigas vacinaram-se contra o vírus do HPV nos últimos 10 anos

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 05 nov (Lusa) - Cerca de 750 mil jovens raparigas vacinaram-se contra o vírus do HPV em Portugal nos últimos dez anos, o que corresponde a 86% da população elegível para a vacina, tornando o país num "exemplo internacional".

Os dados foram divulgados pela Direção-Geral da Saúde na cerimónia que assinala hoje em Lisboa o 10.º aniversário de vacinação contra o vírus do papiloma humano (HPV), que pode provocar cancro do colo do útero.

A vacina contra o HPV, com a vacina incluída no Programa Nacional de Vacinação, arrancou em outubro de 2008.

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, destacou hoje os elevados níveis de vacinação atingidos, que "colocam Portugal na vanguarda mundial de prevenção primária do HPV".

Segundo os dados oficiais, 750 mil jovens mulheres estão totalmente vacinadas contra o HPV, o que representa 86% da população alvo para a vacina.

A secretária de Estado da Saúde, Raquel Duarte, frisou que este indicador "está muito acima" da meta traçada pela própria Organização Mundial da Saúde (OMS).

Cerca de 90% dos cancros do colo do útero podem ser prevenidos pela vacinação, mas a doença é ainda uma das principais causas de morte entre jovens mulheres, sendo o segundo tipo de cancro mais comum em mulheres entre os 15 e os 44 anos.

ARP // HB

Lusa/fim

+ notícias: País

Covid-19: DGS reforça medidas e admite possibilidade de epidemia nacional

A diretora geral da saúde, Graça Freitas, admitiu hoje a possibilidade de uma epidemia nacional devido ao novo coronavírus, afirmando que os casos verificados em Itália alteraram o panorama na Europa.

Associações de Pais defende que as viagens de finalistas devem canceladas por causa do covid-19

A Confederação das Associações de Pais defende que as viagens de finalistas devem ser canceladas. A um mês das férias da páscoa também o primeiro-ministro recomenda ponderação e admite que pode ser uma questão de tempo ate chegarem casos de covid-19 a Portugal.

Ministra da Saúde e a DGS aconselham isolamento a pessoas vindas de países afetados pelo surto

A ministra da Saúde e a DGS recomendam medidas preventivas para quem chega de países afetados pelo surto do novo coronavírus. Entre elas não ir para o trabalho ou para a escola tentando evitar contacto direto com outras pessoas durante 14 dias.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.