Info

Mais de 500 toneladas de medicamentos apreendidas em megaoperação em 116 países

Mais de 500 toneladas de medicamentos apreendidas em megaoperação em 116 países
| País
Porto Canal com Lusa

Mais de 500 toneladas de medicamentos foram apreendidas numa megaoperação envolvendo autoridades policiais, alfandegárias e de saúde de 116 países, incluindo Portugal, e que resultaram em 859 detenções, revelou esta terça-feira a Interpol.

Em comunicado, a Interpol, refere que, entre os fármacos apreendidos, estão falsos medicamentos contra o cancro, analgésicos contrafeitos, bem como seringas sem qualidade.

No âmbito da Operação Pangea XI, o material apreendido está avaliado em 14 milhões de dólares (12,1 milhões de euros).

A investigação, prossegue o comunicado, focou-se em serviços de entrega que eram usados por redes criminosas organizadas, que por sua vez operavam através da Internet, em redes sociais e 'sites' de compras 'online'.

Quase um milhão de embalagens foram inspecionadas na semana da operação (entre 9 e 16 de outubro), de uma vasta gama de fármacos: anti-inflamatórios, analgésicos, hipnóticos e sedativos, comprimidos para a disfunção erétil, esteroides anabolizantes, comprimidos para emagrecimento, Parkinson e diabetes, e até para o tratamento de VIH/Sida.

Foram ainda verificados mais de 110 mil dispositivos médicos, como seringas, lentes de contacto, aparelhos auditivos e instrumentos cirúrgicos.

As autoridades portuguesas envolvidas na operação da Interpol remeteram esclarecimentos para um comunicado a divulgar hoje à tarde.

+ notícias: País

Queixas por discriminação disparam em 2018, quase uma por dia

As queixas por discriminação racial dispararam no ano passado, altura em que a Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial (CICDR) recebeu 346 denúncias, quase o dobro do registado em 2017.

Entre 400 e 500 escolas encerradas devido à greve de funcionários

Entre 400 e 500 escolas do ensino básico ao secundário encerraram hoje de manhã devido à greve do pessoal não docente, segundo um balanço provisório da Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (FSTFPS).

Rui Pinto chega a Lisboa após ser extraditado da Hungria

O português Rui Pinto, colaborador do Football Leaks, chegou esta quinta-feira a Lisboa, na sequência do processo de extradição decidido pela justiça húngara, a fim de ser presente a um juiz de instrução criminal para primeiro interrogatório judicial.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.