Info

Presidente do Turismo do Norte volta ao TIC por alegada viciação de contratos

Presidente do Turismo do Norte volta ao TIC por alegada viciação de contratos
| Norte
Porto Canal com Lusa

O presidente do Turismo Porto e Norte de Portugal, um dos cinco detidos por alegada viciação de procedimentos de contratação pública, voltou ao Tribunal de Instrução Criminal (TIC), após uma primeira inquirição finda na madrugada deste sábado.

Um advogado do processo clarificou anteriores informações que apontavam para a conclusão do interrogatório a Melchior Moreira na madrugada de hoje.

O prolongamento da inquirição a Melchior Moreira, que vai continuar na tarde de hoje, atrasa outros interrogatórios previstos, dos arguidos Isabel Castro, diretora operacional do Turismo do Porto e Norte de Portugal, Gabriela Escobar, jurista daquela entidade, e Manuela Couto, administradora da W Global Communication (antiga Mediana) e do empresário de Viseu José Agostinho

Outro advogado do processo adiantou, já na sexta-feira, que todos os arguidos iriam responder às perguntas do juiz de instrução criminal.

"Podem até vir a alterar essa pretensão, mas todos demonstraram vontade em falar", disse então.

As medidas de coação serão divulgadas no final dos interrogatórios, subsistindo dúvidas se isso poderá acontecer ainda hoje, no domingo ou mesmo na segunda-feira.

Os cinco arguidos foram detidos na quinta-feira pela Polícia Judiciária (PJ), no âmbito da denominada operação Éter, que incluiu ainda buscas em entidades públicas e sedes de empresas.

Em causa estarão ajustes diretos realizados nos últimos dois a três anos, que somados ultrapassam os cinco milhões de euros.

+ notícias: Norte

Um morto e dois feridos em colisão no IP4 perto de Vila Real

Um morto e dois feridos foi o resultado de uma colisão esta terça-feira no Itinerário Principal 4 (IP4), junto a Vila Real, que obrigou ao corte do trânsito, segundo fonte da GNR.

Administração do Hospital de Gaia admite problemas informáticos que pode comprometer o serviço ao utente

A qualidade do serviço ao utente pode estar comprometida no hospital de Gaia. É a própria administração quem o admite, uma vez que está impedida de atualizar o sistema informático. O Tribunal de Contas chumbou a aquisição do contrato, por achar que o hospital não tem condições financeiras para assumir o compromisso.

A Norte de Portugal há 19 zonas críticas de inundação

Espinho e Esposende são então duas das cidades que deverão sofrer alterações com o novo plano da orla costeira, mas há mais cidades que por estarem localizadas junto ao mar, vão também ter se adaptar às novas regras. Ao todo, são mais de 100 quilómetros de costa onde é preciso atuar preventivamente.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.