Info

Incêndio no IPO do Porto terá sido provocado por curto-circuito. Doentes serão encaminhados para outros institutos ou hospitais

| Norte
Porto Canal com Lusa

O presidente do Conselho de administração do Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto disse esta quinta-feira à Lusa que o incêndio que deflagrou na sala de controlo de braquiterapia terá sido provocado por um curto-circuito num equipamento. Ao Porto Canal Laranja Pontes afirma que "estão a ser pensadas alternativas" para reencaminhar doentes para outros institutos ou hospitais enquanto o serviço não estiver totalmente operacional.

Atualizado 19-10-2018 12:11

Laranja Pontes afirmou que “neste momento procede-se à limpeza do local”, prevendo que “na próxima segunda-feira se possam reiniciar os tratamentos naquela sala”.

Os equipamentos danificados serão substituídos num prazo que não deverá ultrapassar os 15 dias, segundo o presidente do IPO-Porto.

“Os doentes nunca estiveram em perigo. Estavam na enfermaria do piso 4 para fazer tratamento de braquiterapia, mas são autónomos”, afirmou, considerando que “felizmente, foi mais fumo do que fogo”.

Em declarações à Lusa, o chefe de serviço dos Bombeiros Sapadores do Porto disse esta manhã que o alerta foi dado cerca das 06:00 e que quando chegaram ao local já se depararam com muito fumo no piso 4 e tiverem que retirar oito doente num serviço que recebe 12 por dia.

“Depois do reconhecimento, percebemos que a sala de computadores junto ao bloco operatório já estava tomada pelo fogo”, disse.

Segundo o mesmo responsável, ninguém sofreu ferimentos, porque os doentes já tinham sido todos retirados.

O incêndio foi extinto cerca das 07:30.

+ notícias: Norte

Cinco pessoas morrem por inalação de monóxido de carbono em Vila Real

Cinco pessoas morreram este domingo devido a uma intoxicação por inalação monóxido de carbono no concelho de Sabrosa, distrito de Vila Real, afirmou à agência Lusa fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

Atualizado 18-11-2018 19:13

Casal de 30 anos esfaqueado por mulher junto a discoteca em Fafe

Um casal com cerca de 30 anos foi esfaqueado na madrugada deste domingo, junto a uma discoteca, em Fafe, por uma mulher da mesma idade, na sequência de uma discussão ocorrida dentro do estabelecimento, disse fonte policial.

GNR apreende armas em Amares a suspeito de 60 anos que terá ameaçado familiares

A Guarda Nacional Republicana (GNR) de Braga apreendeu diversas armas e munições durante uma busca domiciliária, em Amares, após um homem de 60 anos ter alegadamente ameaçado familiares com recurso a uma arma de fogo, foi este domingo anunciado.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.