Info

Condutor que matou ciclista em Gaia confessa que guiava sem carta e fugia à GNR

Condutor que matou ciclista em Gaia confessa que guiava sem carta e fugia à GNR
| Norte
Porto Canal com Lusa

Um condutor acusado de matar um ciclista na zona de Valadares, em Vila Nova de Gaia, em 16 de março de 2017, confessou esta terça-feira em tribunal que conduzia sem carta e que fugia à GNR.

Num depoimento a marcar o início do seu julgamento, no Juízo Central Criminal de Vila Nova de Gaia, o arguido sublinhou que o atropelamento se deu quando seguia a alta velocidade, perseguido por um carro-patrulha da GNR, e que não conseguiu evitar o embate com o ciclista.

Segundo fonte ligada ao processo, o local onde circularia a vítima, alegadamente fora da ciclovia ali existente, é uma questão que pelo menos duas testemunhas poderão clarificar em próxima sessão de julgamento.

Relatos das autoridades feitos no próprio 16 de março de 2017 indicam que o homem, de 31 anos, acusado de homicídio por negligência, percorreu mais de cinco quilómetros em fuga à GNR, depois de desobedecer a uma ordem de paragem, e atropelou mortalmente um ciclista de 35 anos junto à praia do Atlântico, em Valadares.

Ainda tentou prosseguir a fuga a pé após o atropelamento, mas acabou detido pela GNR.

Nesse mesmo dia, a GNR divulgou que o arguido estivera envolvido num episódio similar, em maio de 2016, na localidade de Baltar, concelho de Paredes, quando "duas patrulhas foram em seu alcance, uma de cada lado, e o carro em que seguia abalroou uma viatura da GNR".

+ notícias: Norte

Acidente entre duas motas faz um ferido grave na zona de Viana do Castelo

Uma colisão entre duas motas fez um ferido grave na A28 em Freixieiro de Soutelo, em Viana do Castelo, na tarde desta sábado, apurou o Porto Canal.

(em atualização)

Uma família desalojada e nove casas atingidas com queda de grua no Porto

A grua que caiu hoje numa rua da cidade do Porto provocou o desalojamento de uma família e danos em nove casas, adiantou à Lusa fonte do Comando Distrital de Operação de Socorros (CDOS) do Porto.

Habitantes de Amarante e Celorico de Basto aliviados pela construção da barragem de Fridão não avançar

A EDP ameaça avançar sozinha para a construção da barragem de Fridão se o Governo não lhe devolver os 218 milhões de euros já investidos. É a resposta da elétrica ao anúncio do ministro Matos Fernandes, de cancelar a construção da barragem no rio Tâmega. Um anúncio que também fez reagir alguns autarcas que falam em ato criminoso e que ameaçam levar o Governo a tribunal.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.