Info

Concessionária da logística de gás natural viola direitos das comunidades em Moçambique

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Maputo, 12 out (Lusa) - O projeto de construção da Base Logística de Pemba (BLP), que vai servir as multinacionais petrolíferas no norte de Moçambique, está a violar os direitos das comunidades, acusou hoje a Liga das Mulheres da África Austral (WLSA).

A acusação está num relatório de pesquisa divulgado hoje intitulado "O Impacto da Base Logística de Pemba sobre as comunidades" feita pelas pesquisadoras Maria da Conceição Osório e Teresa Cruz e Silva, da WLSA, uma rede de organizações da sociedade civil de defesa dos direitos da mulher.

"A consulta [às comunidades] sobre o impacto do projeto foi substituída por informação de uma decisão superiormente tomada", refere o estudo.

As duas pesquisadoras assinalam que a possibilidade de expropriação de terra para utilidade pública prevista na lei moçambicana não afasta a necessidade de consulta pública na implementação de mega projetos empresariais.

A WLSA diz que o Governo e a empresa Portos de Cabo Delgado (PCD), concessionária do projeto da BLP, definiram unilateralmente o montante das indemnizações.

"Não tendo sido informadas, não tendo havido nem tempo nem oportunidade para a concertação de posições, as pessoas foram apanhadas numa ratoeira construída pela PDC e pelo município de Pemba, tendo sido coagidas a receber as indemnizações definidas pela PDC ou pelo município", declarou.

As pesquisadoras entendem que, além das indemnizações, a PDC devia pagar compensações que permitissem às comunidades reproduzir nos novos locais de residência as suas fontes de sobrevivência, dada a incapacidade de emprego formal da maioria da população.

O estudo critica igualmente o facto de o projeto da BLP não estar a empregar mão-de-obra local, eximindo-se da responsabilidade social para com as comunidades da área.

"O impacto da exploração dos recursos naturais atinge de forma gravosa as mulheres, não só porque lhes retira, na maioria dos casos, a fonte de sobrevivência das famílias, mas porque a terra tem em si uma componente simbólica importante, que pode influenciar a capacidade de negociação das mulheres no contexto familiar", lê-se no texto.

A BLP resulta de um consórcio entre o Estado moçambicano e capitais privados para a construção de um porto e infraestruturas que poderão ser usadas nos projetos de produção de gás natural no norte do país.

PMA // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Brexit: Tribunal Europeu decidiu que Reino Unido pode revogar o acordo unilateralmente

O Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) decidiu esta segunda-feira que o Reino Unido tem a capacidade de revogar de forma unilateral o artigo 50 dos tratados europeus, que iniciou o processo da sua saída da UE, o "Brexit".

Perto de 2.000 identificados nos protestos dos "coletes amarelos" em França

Perto de 2.000 pessoas foram identificadas em França no sábado no âmbito dos protestos dos "coletes amarelos" que levaram às ruas cerca de 136.000 manifestantes, indicou este domingo o Ministério do Interior.

Cerca de 31.000 "coletes amarelos" protestam em França e 700 foram detidos

Cerca de 31.000 "coletes amarelos" manifestavam-se este sábado a meio do dia em toda a França no quarto grande dia de protestos, que já levaram a mais de 700 detenções, 575 das quais em Paris, segundo o governo.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.